Explicador: Armas usadas na guerra Rússia-Ucrânia

[ad_1]

MOSCOU: A invasão russa da Ucrânia é o maior conflito que a Europa viu desde a Segunda Guerra Mundial, com a Rússia conduzindo uma ofensiva multifacetada em todo o país.
Os militares russos atingiram amplas áreas na Ucrânia com ataques aéreos e realizaram grandes bombardeios com foguetes e artilharia, resultando em um grande número de baixas.
Aqui está uma olhada em algumas das armas que estão sendo usadas no conflito.
AVIÕES E MÍSSEIS
Os militares russos usaram aviões de guerra e mísseis de cruzeiro Kalibr (Caliber) para atingir instalações em todo o país.
O Kalibr é uma arma de precisão, mas as instalações militares ucranianas e edifícios governamentais aparentemente visados ​​por esses mísseis em Kiev e Kharkiv estão localizados perto de áreas residenciais, resultando em vítimas civis.
O mesmo se aplica aos mísseis transportados por aviões de guerra russos, que visavam a infraestrutura militar em ataques que também envolveram danos colaterais.
Para atingir alvos importantes, os militares russos também usaram mísseis Iskander que têm um alcance de até 500 quilômetros (cerca de 300 milhas) e carregam uma ogiva muito mais poderosa que pode destruir grandes edifícios e algumas instalações fortificadas. Alguns mísseis Iskander teriam sido disparados do território do aliado russo Bielorrússia, que serviu de palco para a invasão russa.
FOGUETE E ARTILHARIA
O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy e outras autoridades acusaram os militares russos de bombardear indiscriminadamente prédios residenciais, escolas e hospitais em todo o país.
Imagens da segunda maior cidade de Kharkiv da Ucrânia, verificadas pela Associated Press, mostraram o que parecia ser uma enxurrada de foguetes russos atingindo prédios residenciais em um ataque que matou e feriu dezenas de civis.
Os lançadores múltiplos de foguetes Grad (Hail), Smerch (Tornado) e Uragan (Hurricane) projetados pelos soviéticos são projetados para disparar uma salva de foguetes poderosos para destruir concentrações de tropas ou equipamentos militares. Seu uso contra áreas povoadas inevitavelmente causa pesadas baixas e grandes danos à infraestrutura civil.
Os militares russos também têm uma ampla gama de poderosas unidades de artilharia projetadas pelos soviéticos, que receberam nomes bizarros de flores, como obuses autopropulsados ​​de 203 mm Peony e 152 mm Hyacinth e Acacia.
Moscou alegou que estava atacando apenas bases e infraestruturas militares, mas a AP documentou danos maciços à infraestrutura civil e áreas residenciais em Kiev, Kharkiv e várias outras cidades e vilas em toda a Ucrânia. Autoridades russas alegaram que as forças ucranianas implantaram amplamente armas pesadas em áreas residenciais para usar civis como escudos, uma alegação que não pôde ser verificada de forma independente.
A chefe de direitos humanos da ONU, Michelle Bachelet, falando no Conselho de Direitos Humanos em Genebra na quinta-feira, disse que “a maioria das vítimas civis foi causada pelo uso de artilharia pesada, sistemas de foguetes multi-lançamento e ataques aéreos em áreas povoadas, com relatórios preocupantes”. de uso de munições cluster atingindo alvos civis.” Ela não especificou qual lado pode tê-las usado.
MUNIÇÕES DE CONJUNTO E ARMAS TERMOBÁRICAS
Autoridades ucranianas acusaram a Rússia de usar munições cluster, acusações que o Kremlin negou.
Essas armas são projetadas para atingir tropas e armas inimigas em uma ampla área, e seu uso em áreas povoadas inevitavelmente levaria a baixas em massa entre os civis.
Bombas de fragmentação, foguetes e projéteis de artilharia abrem no ar, liberando submunições, ou “bombas”, que são dispersas por uma grande área e atingem simultaneamente vários alvos.
Além do impacto inicial, as bombas têm uma alta taxa de falha em explodir, representando uma ameaça de longa data de matar e mutilar pessoas por muito tempo depois de serem disparadas.
As armas termobáricas consistem em um recipiente de combustível e duas cargas explosivas separadas, com a primeira detonando para dispersar as partículas de combustível e a segunda inflamando o combustível e oxigênio dispersos no ar, criando uma onda de choque de extrema pressão e calor que cria um vácuo parcial na um espaço fechado. Isso torna a arma particularmente mortal para pessoas em um espaço fechado.
O Pentágono disse que lançadores móveis russos para armas termobáricas foram vistos dentro da Ucrânia, mas não pôde confirmar seu uso.
ARSENAL DA UCRÂNIA
Os militares ucranianos contam com a mesma variedade de lançadores de foguetes e obuses múltiplos construídos pelos soviéticos que os militares russos.
Não possui armas sofisticadas de precisão de longo alcance, como os mísseis balísticos Iskander da Rússia e os mísseis de cruzeiro Kalibr.
Os militares ucranianos têm mísseis balísticos de curto alcance Tochka-U da era soviética, que possuem uma ogiva poderosa, mas de baixa precisão em comparação com as últimas armas russas.
Além de seus antigos arsenais de fabricação soviética, a Ucrânia recebeu grandes carregamentos de armas ocidentais, como mísseis antitanque Javelin fabricados nos EUA e mísseis antiaéreos Stinger lançados pelo ombro. Autoridades ucranianas disseram que os militares do país os usaram para infligir pesadas baixas às forças invasoras russas.
Os militares ucranianos também usaram drones Bayraktar fornecidos pela Turquia antes do conflito. Ele divulgou um vídeo mostrando um ataque de Bayraktar contra um comboio militar russo.



[ad_2]