Brasil figura em penúltimo em ranking de qualidade de ensino

Por Nilson Damole
Atualizado em 27 de novembro, 2012 - 09:52 (Brasília) 11:52 GMT

Brasil ficou em penúltimo lugar em ranking global que mede qualidade de sistemas educacionais

O Brasil ficou em penúltimo lugar em um ranking global de educação que comparou 40 países levando em conta notas de testes e qualidade de professores, dentre outros fatores.

A pesquisa foi encomendada à consultoria britânica Economist Intelligence Unit (EIU), pela Pearson, empresa que fabrica sistemas de aprendizado e vende seus produtos a vários países.

Em primeiro lugar está a Finlândia, seguida da Coreia do Sul e de Hong Kong.

Os 40 países foram divididos em cinco grandes grupos de acordo com os resultados. Ao lado do Brasil, mais seis nações foram incluídas na lista dos piores sistemas de educação do mundo: Turquia, Argentina, Colômbia, Tailândia, México e Indonésia, país do sudeste asiático que figura na última posição.

Leia mais »

Jornal faz mapeamento da violência nas escolas de MG

Do Estado de Minas

Levantamento inédito mostra onde há mais violência nas escolas de Minas

Levantamento inédito feito pelo Estado de Minas mapeia as cidades onde os índices de violência escolar são mais elevados e põem em risco a segurança de alunos e professores

Publicação: 15/04/2013 06:00 Atualização: 15/04/2013 08:04

Mateus Parreiras

Lições de matemática e português eram ensinadas quando a voz dos professores foi abafada por estampidos de tiros na porta da escola. “Os meninos começaram a berrar e a correr assustados para todos os lados”, lembra Ana Rosa, secretária de uma instituição de ensino estadual de Patos de Minas, no Alto Paranaíba. A mulher teve de ser corajosa. Correu pelos corredores, entre meninos e meninas de mochilas nas costas, até poder fechar a porta do colégio. “Quando estoura um tiroteio desses na rua, a gente tranca as portas, segura os alunos e torce para ninguém se machucar”, desabafa a secretária, que por motivo de segurança pediu para usar um nome fictício. O clima de tensão e violência não é realidade apenas desse colégio, uma vez que Patos de Minas é o município com mais ocorrências de crimes em que a referência é a escola, por alunos, entre as 29 cidades com mais de 100 mil habitantes do estado. Cruzando as ocorrências da Polícia Militar registradas dentro e nos arredores de instituições das redes particular, municipal, estadual e federal em 2011, com o número de estudantes de cada cidade, segundo dados oficiais do Censo Escolar elaborado pelo Ministério da Educação, o Estado de Minas fez um mapeamento inédito dos municípios onde há mais violência no meio escolar. A PM não informou o número de ocorrências em escolas no último ano.

Leia mais »

Brasileiro disputa título de melhor professor dos EUA

Por Assis Ribeiro
Do Correio Braziliense

Professor brasileiro entra em lista dos quatro melhores educadores dos EUA

Alexandre Lopes, que trabalha com alunos especiais, mora nos EUA há 18 anos

Julia Chaib - Cidades

Publicação: 13/04/2013 06:02 Atualização: 13/04/2013 00:13

A vocação e o esforço levaram o brasileiro Alexandre Lopes, 44 anos, a integrar a lista dos quatro finalistas que disputam o título de melhor professor dos Estados Unidos. Daqui a pouco mais de uma semana, em 23 abril, ele estará na Casa Branca, sede do governo norte-americano, onde o prêmio será entregue pelo presidente Barack Obama. Natural de Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, e formado em Comunicação Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Lopes mora nos Estados Unidos há 18 anos e, há oito, dá aulas em escolas da Flórida, onde foi considerado o melhor educador de 2012.
Leia mais »

A biblioteca virtual de R$ 1 milhão que não existe

Autor: 

Em 2004, a Secretaria de Educação do estado de São Paulo fechou contrato para inaugurar uma biblioteca virtual com cerca de 40 mil títulos. Só que, mesmo após o pagamento – R$ 1,1 milhão em valores atuais – ela nunca saiu do papel.

Segundo a Folha, o contrato foi feito com a E-Libro, empresa sediada em Miami (EUA) cujo acervo está principalmente em inglês.

Na época, o acordo permitiria acesso a 40.000 obras em inglês, 4.000 em espanhol e só 400 livros em português. Técnicos da secretaria diziam que a biblioteca era desnecessária: no mesmo ano, o Ministério da Ciência e Tecnologia anunciava a criação do Portal E-Livro, para fornecer acesso a publicações de 150 editoras.

O acordo em São Paulo foi intermediado pela Unesco, braço da ONU para educação e cultura. O órgão diz que houve problemas técnicos, resolvidos em 2006, e diz que a biblioteca virtual nunca saiu do papel por desinteresse da secretaria de Educação.

O projeto foi autorizado quando Gabriel Chalita chefiava a secretaria. Ele diz que sua sucessora, Maria Lucia Vasconcelos, é responsável por não dar continuidade ao projeto.
Leia mais »

Sem uso, 2.500 tablets educacionais são roubados em Cuiabá

Autor: 

Há algum tempo, o Ministério da Educação trabalha para levar tablets a professores de escolas públicas. As primeiras unidades foram distribuídas em novembro, e o projeto está sendo expandido ao longo de 2013. No entanto, a chegada dos tablets parece não acompanhar o treinamento que precisa ser dado aos professores.

Enquanto os docentes de Cuiabá (MT) não recebiam treinamento, os tablets ficavam sem uso no depósito da secretaria de Educação. Nesta quarta-feira, uma quadrilha de oito homens armados invadiu esse depósito e roubou 2.500 tablets. O prejuízo é de R$ 1,15 milhão.

Segundo o G1, os criminosos conseguiram invadir o depósito durante o dia, rendendo um vigia não-armado (apenas o período noturno dispõe de segurança armada). O local não possui circuito interno de segurança.

A Polícia Militar diz que a quadrilha sabia que havia apenas um segurança; sabia o nome de pelo menos outros dois funcionários; e também o local onde estavam os tablets. Oito servidores da secretaria de Educação devem ser investigados por supostamente facilitar o roubo dos tablets.
Leia mais »

O sistema educacional da Finlândia

Por Antonio Nelson


Do Blog do Tarso

Finlândia: a melhor educação do mundo é 100% estatal, gratuita e universal

28 MAR

A Finlândia tem a melhor educação do mundo. Lá todas as crianças tem direito ao mesmo ensino, seja o filho do empresário ou o filho do garçom. Todas as escolas são públicas-estatais, eficientes, profissionalizadas. Todos os professores são servidores públicos, ganham bem e são estimulados e reconhecidos. Nas escolas há serviços de saúde e alimentação, tudo gratuito.

Na Finlândia a internet é um direito de todos.

A Finlândia se destaca em tecnologia mais do que os Estados Unidos da América.

Sim, na Finlândia se paga bastante impostos: 50% do PIB.

Leia mais »
Vídeos: 
Veja o vídeo
Veja o vídeo

Ciência sem Fronteiras: maioria dos alunos prefere Portugal

Por MiriamL

Do Terra

Ciência sem Fronteiras expõe 'lado feio' do ensino de idiomas no Brasil

Dados do governo federal apontam que a maioria dos estudantes prefere ir para a Portugal. Falta de domínio no inglês é principal motivo


Angela Chagas
 

Dados obtidos nesta semana pelo Terra apontam que de um total de 22.885 bolsistas que estudam no exterior por meio do programa Ciência sem Fronteiras, 2.935 estão em Portugal, o que corresponde a praticamente 13% do total. Representantes de universidades brasileiras e o próprio governo consideram o número extremamente alto, principalmente se levado em conta que o Brasil tem convênio de intercâmbio com 20 nações. Segundo a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), autarquia do Ministério da Educação, o problema está na falta de domínio de outros idiomas por parte dos estudantes brasileiros.

Para o professor José Carlos Almeida Filho, pesquisador do Departamento de Línguas Estrangeiras da Universidade de Brasília (UnB), o Ciência sem Fronteiras – lançado em dezembro de 2011 com o objetivo de oferecer mais de 100 mil bolsas de estudo em quatro anos – expõe o "lado feio" da educação no Brasil. "Essa ida para o exterior é muito saudável, mas mostrou o lado feio, as pessoas não estavam percebendo o quanto é fraco o ensino de idiomas nas escolas do Brasil". Segundo ele, falta uma política de longo prazo para garantir o aprendizado, principalmente de inglês e espanhol. Investimento na formação de professores, aumento da carga horária de aulas e diversificação do material didático são alguns pontos apontados pelo pesquisador.

Leia mais »

Bandidos inpunes

Parece que a sociedade não se dá conta da selvageria em que vivemos. Está apática, anestesiada e acuada. Os crimes em todas as suas versões crescem assustadoramente, na mesma proporção em que os políticos criam leia para proteger os bandidos. Assaltantes dos cofres públicos, de caixas eletrônicos, ladrões impiedosos, ébrios atropeladores, estupradores, vigaristas, ladrões de carro, circulam entre nós, pois não há lei que os mantenham na cadeia. Nossa sociedade está falida, há que reformular com urgência os três preceitos básicos da Democracia: Educação, Segurança e Saúde, para resgatar o que se perdeu. Principalmente, urge que tenhamos leis que punam crimes. Basta de proteção aos criminosos, cânceres da sociedade, inimigos da cidadania. Os brasileiros de bem pedem socorro. Foto: Firmino Caetano Junior. Anita Driemeier. 

Imagens: 
Hospital Getúlio Vargas

Secretaria de Educação de SP divulga resultado do Idesp

Por carlos alberto dias

Do iG

Após denúncia do iG, escola com maior Idesp de SP ‘cai’ de 9,3 para 2,63

Resultados por escola foram divulgados nesta quinta-feira e todas as campeãs do ano passado tiveram queda. Na que teve melhor resultado geral, iG mostrou fraude

iG São Paulo | 28/03/2013 12:27:11 - Atualizada às 28/03/2013 15:47:13

A Secretaria de Estado de Educação de São Paulo divulgou nesta quinta-feira o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo (Idesp). Todas as escolas primeiras colocadas no ano anterior tiveram redução na nota. No caso da Reverendo Augusto da Silva Dourado, de Sorocaba, que em 2011 teve o melhor índice do Estado – 9,3 em uma escala de zero a 10 – a nota caiu para 2,63 em 2012. No ano passado, o iG mostrou que uma professora fraudou o sistemana unidade e fez a prova pelos alunos.

Leia mais »

Quase metade das escolas têm ensino religioso obrigatório

Do jornal O Globo

Ensino religioso é obrigatório em 49% de escolas públicas, contra lei

  • Em 51% dos colégios há costume de se fazer orações
  • Em 79%, não há atividades alternativas para os estudantes

LAURO NETO

RIO - Na maioria das escolas públicas brasileiras, para passar de ano, os alunos têm que rezar. Literalmente. Levantamento feito pelo portal Qedu.org.br a partir de dados do questionário da Prova Brasil 2011, do Ministério da Educação, mostra que em 51% dos colégios há o costume de se fazer orações ou cantar músicas religiosas. Apesar de contrariar a Lei de Diretrizes e Bases (LDB), segundo a qual o ensino religioso é facultativo, 49% dos diretores entrevistados admitiram que a presença nas aulas dessa disciplina é obrigatória. Para completar, em 79% das escolas não há atividades alternativas para estudantes que não queiram assistir às aulas. 

A., de 13 anos, estuda numa escola municipal em São João de Meriti em que o ensino religioso é confessional, e a presença nas aulas, obrigatória. Praticante de candomblé, ela diz sofrer discriminação por parte de três professoras evangélicas, que tentam convertê-la. Com medo de retaliações, a menina pede que nem seu nome nem o de seu colégio sejam identificados. Ela relata que é obrigada não só a frequentar as aulas, como também a fazer orações.

Leia mais »

EUA: 60 escolas serão fechadas em Chicago

Por alfeu

Do site Opera Mundi

Sob protestos, prefeitura de Chicago anuncia fechamento de 60 escolas públicas

Medida provocou indignação e revolta entre professores e estudantes, que acusaram governo de racismo e classismo
 
Dodô Calixto

A administração das escolas públicas de Chicago nos EUA vai fechar por tempo indeterminado 60 escolas da cidade. Com o anúncio, cerca de 30 mil crianças – em sua maioria negra e de bairros populares da cidade – não sabem onde vão estudar no próximo ano, quando a medida entrará em vigor.

A justificativa oficial da prefeitura de Chicago é que as escolas estão operando em um nível de qualidade abaixo do padrão norte-americano. A proposta é transferir os alunos para outras escolas com melhor infraestrutura e com nível mais elevado de ensino. No total, 54 escolas serão fechadas e outras 11 serão realocadas.

Além disso, o governo pretende enxugar o orçamento e economizar cerca de 560 milhões dólares nos próximos 10 anos, cortando os gastos operacionais. As medidas foram anunciadas nesta sexta-feira (22/03) em nota pelo prefeito Rahm Emanuel, que está de férias em uma estação de ski no Estado de Utah.

Imediatamente após o anúncio, centenas de moradores da cidade saíram às ruas para protestar. A medida é “racista e classista”, definiu a presidente da União dos professores de Chicago, Karen Lewis, salientando que as escolas prestes a serem fechadas ficam principalmente em bairros pobres da cidade, onde a população negra é de cerca de 80%. Leia mais »

A educação alienada

Por ANTONIO ATEU


Do blog Convergência

Educação enlatada: a alienação do trabalho chegando às salas de aula

Uma das principais características do capitalismo é a transformação dos seres humanos em mercadorias e, principalmente, em máquinas geradoras de riquezas a serem expropriadas pela classe dominante. Para isso, busca ao máximo fragmentar um importante atributo do ser social: o trabalho. Separa-se o “pensar o trabalho” da tarefa em si, processo esse intitulado de alienação do trabalho.

O homem se transforma em um ser autômato, desprovido de sua capacidade de compreender seu papel e, não obstante, reconhecer o valor de seu trabalho e de se apropriá-lo. A alienação do trabalho torna-se a base fundamental da exploração de uma classe sobre a outra na sociedade moderna contemporânea.

Contudo, o capitalismo se desenvolveu de forma desigual e combinada. A alienação se inseriu no mundo do trabalho em diversos lugares de formas distintas. Mais profundo na produção industrial desde o século XIX, mas dinâmico no mundo corporativo no século XX, mais dissimulado na cultura e nas artes no século XXI. E nos últimos 20 anos acompanhamos uma forte ofensiva da alienação do trabalho também no ambiente escolar.

Leia mais »

No STF, OAB questionará limite de gastos com educação no IR

Por implacavel

Do jornal O Globo

OAB vai ao Supremo contra limites de despesas com educação no IR

  • Tetos para gastos com educação ofendem princípios da Constituição

 

RIO - O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) vai questionar no Supremo Tribunal Federal (STF) a constitucionalidade dos limites fixados pela lei 9.250/95 para dedução de despesas com educação no Imposto de Renda da Pessoa Física (IR), abrangendo os anos-bases de 2012 (exercício 2013) a 2014 (exercício 2015).

O presidente da OAB, Marcus Vinicius Furtado, diz que os limites ofendem diversos princípios constitucionais, como a dignidade da pessoa humana e o direito fundamental de todos à educação. Hoje, os limites são: para o ano base 2012 o valor é de R$ 3.091,35. Para 2013, é de R$ 3.230,46; e 2014, é de R$ 3.375,83.

Leia mais »

Autor dos EUA que largou a faculdade defende autoaprendizado

Por MiriamL

Do iG

Livro ensina como largar a faculdade e aprender sozinho

Líder de movimento que questiona a validade do ensino superior nos Estados Unidos lança obra com dicas para jovens se desenvolverem fora das universidades

Tatiana Klix 

Ir para a faculdade ainda é um plano quase unânime para jovens americanos, que se preocupam desde o início do ensino médio com suas notas – um dos critérios usados pelas instituições de ensino superior para selecionar estudantes – e em como vão pagar pelo curso mais tarde. Quase. Nos últimos anos, o aumento do desemprego e índices crescentes de graduados que passam dificuldades para honrar o crédito estudantil recebido antes da formatura fazem com que uma parcela deles questione a validade do curso superior. Para esses adolescentes, ou outros que ainda não pensaram nisso, um livro lançado este mês nos Estados Unidos – Hacking your Education (Hackear sua educação, em livre tradução) – incentiva a largar a faculdade e dá dicas de como aprender – e muito - fora das salas de aulas.

Leia mais »