O rombo nos cofres da CBF

Diretor financeiro e tesoureiro são demitidos na CBF

Homem de confiança de Ricardo Teixeira, Antonio Osório Ribeiro L. da Costa, foi demitido do cargo de diretor financeiro da CBF, posto que ocupa há anos.

Junto com ele caiu, também, seu braço direito, Ariberto Pereira dos Santos, o tesoureiro da entidade, outro que Teixeira exigiu que permanecesse quando abandonou o país.

Ambos, dois arquivos vivos, foram demitidos por Marco Polo Del Nero, que é quem realmente manda na CBF, mas, se aceitarem, poderão permanecer como funcionários da casa.

Osório, com salário por volta de R$ 90 mil, ainda não respondeu se aceita e Ariberto deve ser transferido para o departamento de seleções.

Há quem imagine que José Maria Marin, o presidente de direito, esteja dando corda para Del Nero se enforcar e que o golpearia no momento da sucessão, por estar decidido a permanecer mesmo depois da Copa do Mundo.

Marin, quando substituiu Paulo Maluf no governo biônico de São Paulo usou do mesmo expediente de ir trocando os homens chave no Palácio dos Bandeirantes, sem mandá-los embora.

A CBF está fervendo nesta tarde, com rumores de que teria sido descoberto um formidável rombo nos cofres da confederação.

Tanto o ex-diretor financeiro quanto o tesoureiro foram procurados pelo blog.

O primeiro não atendeu ao telefonema e o segundo, depois de atender e ouvir o nome do blogueiro, fez- se de surdo, como é habitual nestas circunstâncias, e desligou o telefone.

Nenhum voto

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.