A BURGUESIA BRASILEIRA NÃO É IGNORANTE E MUITO MENOS IDIOTA!

Não é uma questão de ignorância, não nos iludamos, não sejamos ingênuos, mas do projeto conservador da burguesia mais reacionária, da direita deste país, que tem como pilares: A Exploração, A Exclusão, A Opressão, A Dominação. Sobre esses quatro pilares a direita golpista quer derrotar o projeto popular de país, estancar o seu possível avanço até o socialismo, e retomar o controle sobre o povo para levá-lo de volta ao estado de iniquidades em que vivia até pouco mais de uma década atrás. Leia mais »

Sua Saúde!

Autor: 

Hoje em dia é muito comum as pessoas procurarem ajuda para ter uma vída mais saudável, seja ela de médicos ou nutricionistas, para conseguir ter uma aliementação melhor e também a ajuda de suplementos para atingir os objetivos. Quando o objetivo maior da pessoa é o ganho de massa muscular, podemos sempre indicar o suplemento somatodrol, o qual é muito utilizado por atletas profissionais por casua de sua rica composição. Leia mais »

Bandeiras tarifárias: você assume parte do risco

Do Blog Infopetro

Por Roberto Pereira d´Araujo

Certo dia você embarca no ônibus que está acostumado a usar e, surpreso, descobre que a tarifa está mais cara. Como não houve nenhum aumento anunciado, você indagaria o motivo do acréscimo e descobre que há uma nova regra que permite que a tarifa varie. Os passageiros que já estavam no ônibus dizem que souberam através do motorista que a regra passou a ser a seguinte:

Quando o veículo está cheio, comum nesse horário, a tarifa aumenta. O que justificaria essa tese é que, estando lotado, o veículo gasta mais combustível e o estoque de diesel na garagem pode se esgotar. Com um maior desgaste, o veículo ainda corre o risco de quebrar e o custo de manutenção é mais alto. Portanto, a passagem é mais cara. Pasmo, ainda incrédulo, você tem algumas perguntas: Por que não colocar mais ônibus? Quando o ônibus está vazio a tarifa cai? Evidentemente não teria a resposta, pois a decisão não é do motorista. Leia mais »

Eduardo Braga agride fotógrafo em Maraã

Autor: 

Após ver o vídeo gravado neste domingo em Maraã, em que o senador, líder do governo e candidato ao governo Eduardo braga (PMDB) tenta tomar a máquina fotográfica de Joel Reis da Silva, que registrou queixa na polícia, e foi agredido tanto por Braga quanto por seus seguranças, fico pensando para onde vai o discurso de que é a renovação, o novo e de ele que está preparado para governar pela terceira vez o Amazonas. Braga agiu como os coronéis de barranco que, quando contrariados, usavam da força para resolver seus problemas e tirar adversários do caminho. A truculência com que tratou o fotógrafo levanta alguns questionamentos. Está mesmo tão tranquilo assim de sua eleição, apontada em pesquisas? Leia mais »

Vídeos: 
Veja o vídeo
Senador Eduardo Braga agride fotógrafo

A TRAGÉDIA DE UM POVO QUE NÃO INTERESSA

Israel bombardeia Gaza em plena madrugada. Nem sequer dormir os palestinos podem. Israel despeja bombas de caças F-16 contra uma nação ocupada e submetida a um minúsculo gueto, que sequer tem forças armadas e capacidade de defesa e reação. Os foguetes que o Hamas atira visando atingir Israel são 99% interceptados e destruídos pelo sofisticado sistema de defesa de Israel. Os números são claros e mostram o massacre do lado palestino. Os mortos do lado de Israel, que não podemos deixar de lamentar, são de militares sob ordens do governo Sionista, e as perdas materiais israelenses são insignificantes e desproporcionais ao que ocorre do lado palestino. Leia mais »

Eficiência energética: regras e métricas

Autor: 

Do Blog Infopetro

Por Miguel Vazquez

Como discutimos em postagem anterior, a definição das regras é o bloco básico na definição dos mecanismos de coordenação entre diversos indivíduos. A definição destas regras passa em grande medida pela definição do(s) objeto(s) que estão sendo organizado(s). Por sua vez, esta definição está baseada em um sistema de medidas: quase tudo o que se precisa para definir umas regras de jogo adequadas é definir quais os atributos que vão ser medidos, (Vazquez and Hallack, 2013). Tal sistema, contudo, não é nada natural, principalmente quando falamos na energia, ou ainda quando nos referimos à diminuição do uso de energia – o caso da eficiência energética.

A Comissão Europeia divulgou em abril de 2014 um estudo (EC, 2014) comparando os diferentes mecanismos de medida e classificação de eficiência energética, e o alinhamento dos vários standards e certificados. O estudo mostra, por um lado, uma proliferação dos sistemas de medida nos últimos 20 anos, e, por outro, uma tendência de alinhamento destes sistemas. Leia mais »

Minha desfiliação do PSOL

Autor: 

 

Manaus, 13 de maio de 2014

De: Welton Yudi Oda

Ao: Presidente Estadual do PSOL

 

[email protected] [email protected]

  Leia mais »

"ANÕES" SÃO OS QUE PENSAM PEQUENO!

Sempre bom relembrar que nessa II Assembleia da ONU, presidida pelo Oswaldo Aranha, hoje o bife que eu mais gosto na gastronomia brasileira e carioca, foi também acertado o Estado da Palestina. Israel saiu do papel, foi constituído e logo começou suas artimanhas para impedir que a nação palestina obtivesse seu estado ao lado, e mais, passou a comportar-se como imperialista e expansionista, na região, tomando o Sinai, Golã, a Cisjordânia, etc..., e estimulando a cizânia inter-arábica. O fato é que Israel se "consolidou", virou 'X9' dos EUA, no Oriente Médio, armou-se até os dentes, e transformou a "terra prometida" num inferno, onde o povo hebreu, povos árabes, incluindo os palestinos, e cristãos, desde então, não conseguiram mais viverem em paz. Leia mais »

O BRASIL NÃO VAI PARAR NÃO!

O Brasil não está em recessão e o baixo crescimento do PIB está relacionado a vários fatores extrínsecos e intrínsecos à economia. Os indicadores internacionais demonstram que as economias dos principais países centrais, da Europa, e os EUA, não crescem ou crescem pouquíssimo. A China, até então o principal motor macro-econômico mundial, embora cresça, não apresenta mais dois dígitos em seu PIB anualizado. O que queriam? O Brasil não é uma ilha ou um mundo à parte. Estamos intimamente interligados na economia global, mas temos méritos e o principal deles é o crescimento sustentável que estamos mantendo há uma década, gerando empregos, distribuindo renda, e tudo com democracia e justiça social. Quais os países que podem hoje se orgulharem desse cenário? Talvez muito poucos. Os consolidados escandinavos e não ouso ir muito além. Se nos voltarmos para o cenário interno, os tais fatores intrínsecos, não dá para começar não dizendo que o "pessimismo conspiratório" está no cerne da questão. Leia mais »

A participação dos chineses no setor de petróleo no Brasil

Do Blog Infopetro

Por Edmar de Almeida e Helder Consoli

Até recentemente, o Brasil esteve fora do radar das empresas chinesas que vêm empreendendo uma forte expansão internacional. Com a descoberta do Pré-sal e com o consequente potencial exportador de petróleo do país, as empresas petroleiras chinesas passaram a se interessar pelo setor energético brasileiro. Nos últimos cinco anos, todas as quatro grandes empresas petrolíferas estatais chinesas entraram no mercado Brasileiro. Além disso, dada as necessidades de financiamento das atividades de E&P no Brasil, elas passaram a ser vistas como uma importante fonte de liquidez para investir no negócio de petróleo nacional.

O principal drive para entrada no Brasil é a perspectiva de exportação de petróleo para a China. Tendo em vista que estas empresas dominam o downstream na China, sua estratégia é buscar ativos que podem se converter em exportações para a China. Leia mais »

Fred, o trabalhador

Autor: 

 

A única coisa que torna os expectadores de uma ópera ou de um concerto, superiores aos expectadores de um Fla X Flu é um certo preconceito eurocêntrico. Conde de Masoch

  Leia mais »

O CCSP quer deixar de ser público!

Chego a uma biblioteca pública de São Paulo para pegar um livro emprestado. No guarda-volumes, seguranças vestidos ao estilo capo da máfia, tão em voga nos shoppings, dizem que para adentrar o recinto preciso fornecer alguns dados pessoais, tirar uma foto e de um documento de identidade. "Mas eu já tenho cadastro", respondo. Não se trata do cadastro para a retirada de livros, esse cadastro é de seleção de quem pode entrar na biblioteca. Ao fim dessa burocracia, entrego minha mochila no guarda-volumes, passo o cartão por uma catraca e estou liberado para entrar numa biblioteca pública. Estou perplexo, ainda tentando entender. Só lembro desse trâmite todo em prédios de escritórios, não em bibliotecas. Nem na PUC-SP, uma universidade privada, nem nos SESCs, instituições também privadas, me exigiram tamanha identificação - na verdade, nunca me exigiram identificação alguma, sequer para usar a internet (diferentemente do CCSP, que exige cadastro e pedido de autorização diário).  Leia mais »

Comparando o Biomass Program do DOE e o PAISS do BNDES/FINEP

Do Blog Infopetro

Por José Vitor Bomtempo

O título desta série destaca uma dimensão central da indústria baseada em biomassa que não podemos perder de vista em nossas análises: é uma indústria em construção, ainda sem definição clara das dimensões estruturais que caracterizam setores mais maduros. As entradas (e saídas) de novos competidores são numerosas e frequentes e os perfis desses competidores são também variados, de startupsde base tecnológica a empresas estabelecidas de diversas origens e indústrias. Novas bases de conhecimento, com destaque para a biologia sintética, desafiam esses competidores que, configurando um cenário de corrida tecnológica, são com frequência apoiados por políticas de inovação.

A estruturação dessas políticas é particularmente notável no caso americano através doDepartment of Energy (DOE) e do Department of Agriculture (USDA) e no caso europeu através de diversas iniciativas da Comissão Europeia. No Brasil, a iniciativa conjunta BNDES/FINEP, conhecida como PAISS, deslanchada a partir de 2010, pode ser vista como a versão brasileira melhor estruturada, até agora, em políticas de inovação para a bioeconomia. Há estudos em andamento sobre a diversificação da indústria química (BNDES) e sobre as tecnologias prioritárias em química renovável (ABDI/CGEE, dentro do Programa Brasil Maior), mas não resultaram ainda em iniciativas concretas de políticas de inovação. Leia mais »

o direito da imprensa na cobertura da ação policial

Lamentável sob todos os aspectos -um retrocesso no direito ao trabalho da imprensa livre- o episódio que envolveu policiais militares e a jornalista Vera Araújo, de O Globo, na tarde do  último domingo, 15/06, na Quinta da Boa Vista, nas proximidades do Estádio do Maracanã, no Rio, quando a referida profissional de imprensa, no exercício de sua missão constitucional, tentava filmar e registrar uma ação policial contra um cidadão argentino, em princípio acusado de urinar em via pública. Leia mais »

O setor elétrico e as indefinições da política de gás natura

Autor: 

Do Blog Infopetro

Por Marcelo Colomer

A mais recente crise do setor elétrico brasileiro vem chamando a atenção para a importância da termoeletricidade como fonte complementar de geração, principalmente da geração térmica a gás natural. Sendo assim, entusiasmados com a “revolução do shale gas norte-americana” e com o potencial de produção nacional (tanto das áreas do cluster do pré-sal quanto das formações convencionais e não convencionais em terra), muitos analistas vêm exaltando a importância do gás natural no futuro da matriz elétrica nacional.

É fato que as mudanças ocorridas no perfil de demanda e oferta de eletricidade exigem um novo modelo para o setor onde a termoeletricidade irá desempenhar um papel cada vez mais importante na geração de base. Contudo, qual o tipo de térmica que melhor se adequa ao novo perfil do setor elétrico brasileiro ainda não é uma questão respondida. Leia mais »

Para chegar ao hexa seleção terá que mudar (ARTIGO)

O sufoco da estréia passou. E que sufoco! Sem um erro flagrante do árbitro japonês, na encenação oportuna de Fred dentro da pequena área e na dúvida sobre a entrada faltosa ou não de Ramires no jogador da Croácia, proporcionando, num contra-ataque, um um lance de excelência no talento de Oscar, talvez o empate fosse mesmo o resultado mais justo, se é que existe justiça no futebol, Conclusão: vencemos mas não convencemos e a Croácia nos surpreendeu jogando com eficiente aplicação tática e ousadia.  Leia mais »

Poesia Recente

 

 

 

À Pressa

 

Anexa a lauda, apressa

abaixa a baixa, lauda anexa.

Entrega a deixa, na mesa e

faça logo! Beleza.

 

O mundo te chama gentil

e não aclama, o febril

A pressa começa, a mil

trabalha, imbecil.

 

O feixo fraco caiu e

 o freixo solto, sumiu

faça agora e meça a mora,

os Juros altos,a taxa injusta.

Fuja e corra, não largue a busca

Bolsa inflada, saia justa

frente à morte, assusta.

Respire fundo trabalhador

O mercado imundo tem seu valor.

Então resguarde e faça alarde

Não seja covarde amor

pois o tempo não faz milagres

e sim o esforço tras bons falares

e sorrisos nos negócios, milagres

operam certezas nos sócios.

 

O mundo te chama gentil

e não aclama, o febril

A pressa começa, a mil

trabalha, imbecil.

Os desdobramentos da crise do setor elétrico brasileiro

Autor: 

Do Blog Infopetro

Por Luciano Losekann

A crise do setor elétrico brasileiro já dura alguns meses e não deve se esgotar tão cedo. Durante quatro meses, desde de 1º de fevereiro, o preço de liquidação de diferenças (PLD) se situou próximo a seu teto (R$ 822/MWh). Em junho, o PLD se reduziu significativamente, correspondendo a R$ 352/MWh atualmente. Mas, os efeitos da crise devem permanecer por um longo período.  Ainda assim, podemos tirar algumas conclusões e considerações.

A primeira é que o maior temor inicial, a repetição de um racionamento de eletricidade como o de 2001/2002, não se confirmou. Os reservatórios ainda estão bastante vazios, mas, contrariando as previsões pessimistas dos últimos meses[1], acabaremos 2014 sem a necessidade de reduzir compulsoriamente a demanda. Ainda que a situação hidrológica permaneça ruim, o comportamento da demanda permitiu aliviar o risco. A carga do sistema interconectado nacional, que vinha crescendo a um ritmo próximo a 10% ao ano nos primeiros meses de 2014, passou a crescer em ritmo inferior, de 3%. No Sudeste/centro-oeste, a carga apresentou crescimento de 1% entre maio de 2013 e maio de 2014. A carga média de maio foi 15% inferior a de fevereiro nesse subsistema. A temperatura mais branda fez com que o consumo residencial se reduzisse e os consumidores do mercado livre responderam ao aumento de preço contraindo a demanda. O consumo total no mercado livre caiu 4,2% em abril quando comparado ao mesmo mês em 2013. Segundo a CCEE[2], a queda de consumo no mercado livre foi determinante para a redução do preço de curto prazo (PLD) em junho.

A segunda conclusão é que o impacto mais relevante e mais duradouro da crise é a desestruturação dos fluxos econômicos do setor.  Apesar de uma premissa do modelo setorial ser a contratação de longo prazo, parte das transações de eletricidade é determinada e influenciada pelo preço de curto prazo, o PLD. Isso ocorre por diversos motivos, voluntários e involuntários. A permanência de preços oito vezes superiores ao custo marginal de longo prazo durante quatro meses causou perdas significativas para esses atores expostos ao preço de curto prazo. Leia mais »