A imprensa e o grande 'faz de conta' em jogo político

Sugestão de Webster Franklin

Do Observatório da Imprensa

Sobre desabafos e o jornalismo do ‘faz de conta’

Por Carlos Castilho

Está circulando na internet um vídeo com uma entrevista do jornalista Ricardo Boechat na qual ele faz um desabafo, sem papas na língua, que bem poderia ser uma espécie de manifesto contra o jornalismo “faz de conta” que nos é servido diariamente pela maioria dos jornais, revistas e emissoras de rádio ou televisão do país. 

“Faz de conta” porque tem muito pouca coisa a ver com a realidade e procura nos passar a imagem de que se trata de informação isenta e objetiva. Não sei se a minha experiência pode ser generalizada, mas a cada dia que passa encontro mais pessoas que deixaram de ler jornais, viram a cara para as capas de revistas semanais e evitam os telejornais tentando evitar acessos de irritabilidade.

É muito preocupante ver como as pessoas estão se afastando da imprensa depois de terem sido contaminadas pelo vírus da dúvida sobre a fidedignidade e isenção das notícias publicadas nos principais veículos de comunicação jornalística do país. Mais preocupante ainda é perceber que ainda é grande o número de profissionais que não se deram conta do papel que lhes está sendo imposto pelas empresas jornalísticas.

Leia mais »

Crítica ao editorial da Folha de S.Paulo

Sugestão de Osvaldo Ferreira

Da Folha de S. Paulo

Por fora dos trilhos

Editorial

Cartel delatado pela Siemens lança suspeita grave sobre governos tucanos em SP; PSDB acusa Cade de servir como instrumento político

As sucessivas administrações do PSDB em São Paulo, Estado governado pelo partido desde 1995, estão no epicentro de um escândalo milionário em torno do fornecimento de material ferroviário para linhas de metrô e de trens da CPTM.

O caso foi revelado nesta Folha. Reportagem de 14 de julho relatou a delação de um cartel por um de seus integrantes, a empresa alemã Siemens, ao Cade (agência federal antitruste) e ao Ministério Público, com os quais fizera acordo de imunidade em troca de colaboração. Leia mais »

Lula volta a falar sobre a democratização da mídia

Sugestão de Gilson AS

No Brasil 247

Lula no Foro de SP: "Internet é nossa mídia"

Ex-presidente afirma que está na hora das esquerdas que administraram países da América Latina mostrarem que sabem governar; para Lula, "o Brasil tem mais responsabilidade para garantir que a integração aconteça"; ele também comentou os manifestos que estão acontecendo no Brasil: "essas manifestações têm de tudo, a maioria é coisa boa. Mas por de trás disso tem fascistas também"; líder petista voltou a falar sobre democratização da mídia: "com a internet, temos a capacidade de ter a nossa própria mídia. Nós precisamos criar o nosso instrumento de comunicação"

247 – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) defendeu, durante a abertura do XIX Foro de São Paulo, na noite desta sexta-feira (2), a integração dos países da América Latina. Ele disse que é preciso “ter consciência que a esquerda está enfraquecida no mundo” e neste cenário, a América Latina pode ser “um farol para a nova esquerda”. Leia mais »

As desigualdades de acesso às tecnologias digitais

Sugerido por Sérgio T.

No QTMD?

As tecnologias não desfazem exclusões e desigualdades 

Por Dênis de Moraes(*), especial para o QTMD?


Dênis de Moraes

Devemos reconhecer avanços proporcionados pelas tecnologias digitais, como, por exemplo, as funcionalidades dos celulares, os serviços públicos online, os espaços colaborativos, os intercâmbios audiovisuais, os acervos multimídias, as redes educativas, as mobilizações virtuais por afinidades eletivas e a divulgação descentralizada através da Internet. Mas não podemos deixar de ressaltar que existem sérias contradições e desigualdades nos acessos e usos dessas mesmas tecnologias. Parcelas expressivas da população mundial continuam excluídas da evolução técnica. E são as classes e o capital dominantes que absorvem as maiores vantagens da cultura digital, impedindo a partilha equânime das riquezas e do progresso tecnocientífico e material. Leia mais »

Neto pede demissão em troca da contratação de Mauro Beting

Sugerido por Sérgio T.

Do Terra

Neto pede demissão, e Rádio Bandeirantes sela retorno de Mauro Beting 

O ex-jogador e comentarista Neto anunciou que pediu demissão da Rádio Bandeirantes, em troca da recontratação do jornalista Mauro Beting, demitido na quinta-feira por corte de gastos. Em contato com o Terra, um familiar confirmou que Beting aceitou um convite para retornar aos trabalhos na rádio após a saída de Neto.Em seu blog oficial, o ex-jogador disse que tomou essa atitude por achar "a mais correta" e ter "convicção de que o Mauro pode produzir mais para o grupo". Também criticou o preconceito contra ex-atletas que atuam no jornalismo esportivo como "coisa de gente babaca".

No Twitter, Mauro Beting agradeceu a atitude de Neto e confirmou que volta ao ar na segunda-feira pela Rádio Bandeirantes. Na TV Band, tanto Neto quanto Mauro Beting seguem normalmente com seus trabalhos. Leia mais »

Bandeirantes passa por reestruturação e demite Mauro Beting

Sugerido por implacavel

Da Revista Fórum

Demissão de Mauro Beting causa comoção nas redes sociais

Reestruturação da Bandeirantes resultou em outras demissões na Rádio Bradesco FM, do mesmo grupo

Por Redação - Revista Forum

A demissão do jornalista Mauro Beting da Rádio Bandeirantes tem causado comoção nas redes sociais. O desligamento faz parte de um pacote de cortes feitos pelo grupo de comunicação, que envolve ainda a saída de profissionais da Rádio Bradesco FM.

“É uma pena, porque de tudo que eu faço, televisão, aberta e fechada, coluna de jornal, blog, canal do Youtube, é uma pena não fechar as contas justamente do lugar que eu tenha mais prazer em fazer. Trabalhava justamente por ser minha maior paixão. Mas, sigo no Band Sports e na TV aberta”, declarou Mauro Beting ao Uol Esporte.

Leia mais »

A atuação do MP no caso de sonegação da Globo

Sugerido por Webster Franklin

Do Tijolaço

Caso Globo: se é assim que o MP age, Bruno pode mandar matar Elisa

“A ré ocultou (o processo de sonegação da Globo) com o evidente propósito de obstar o desenvolvimento da ação fiscal que nele se desenvolvia, cujo montante ultrapassava 600 milhões de reais”

A afirmação está escrita e assinada pelo procurador Fernando de Oliveira, do Ministério Público Federal, no processo que condenou  Cristina Maris Meirick Ribeiro, ex-servidora da Receita Federal.

A revelação da matéria de Luís Carlos Azenha, no jornal da Record, esta noite, deixa evidente que houve leniência em relação a Rede Globo no processo.

E o que fez o MP? Nada!

Se o objetivo foi obstar a cobrança de R$ 600 milhões à Globo, Cristina teria roubado o processo por que?

Porque é fã das novelas?

Mas a Globo sequer foi intimada a depor. Leia mais »

Mulher que sumiu com processo da Globo beneficiava devedores

Da Record

Mulher que sumiu com processo da Rede Globo beneficiava devedores de impostos

Jornal da Record teve acesso aos autos que condenaram a ex-funcionária de Receita Federal à prisão. No documento, ela é classificada como “criminosa contumaz”, que fraudava informações para beneficiar empresas endividadas. Ela sumiu com um processo que cobrava mais de R$ 600 milhões da Globopar, empresa controladora da Rede Globo.

Leia mais »

Abril encerra atividades da revista Bravo

Sugerido por Janah

Do Portal Imprensa

Abril encerra a revista “Bravo”; outros títulos podem ter o mesmo destino

Em comunicado interno enviado aos funcionários nesta quarta-feira (31), a Editora Abril anunciou o encerramento das atividades da revista Bravo. No entanto, segundo IMPRENSA apurou, não deve ser o único título a ser fechado pela empresa.

Em comunicado interno enviado aos funcionários nesta quarta-feira (31), a Editora Abril anunciou o encerramento das atividades da revista Bravo. No entanto, segundo IMPRENSA apurou, não deve ser o único título a ser fechado pela empresa.

Até o momento, os profissionais que atuavam na publicação não foram demitidos. No entanto, não há informação se eles serão reaproveitados em outros produtos da editora.

O anúncio oficial sobre o fechamento da Bravo para o público deve ocorrer na próxima quinta-feira (1/8). Leia mais »

Com vandalismo* documentário completo

"SEM VANDALISMO!" repetiam gritando parte dos manifestantes que ocuparam as ruas de Fortaleza. Mas na multidão das manifestações, que explodiram no Brasil em junho de 2013, outros grupos empregaram métodos mais diretos. Tachados de "vândalos", foram criminalizados por parte da grande mídia, antes mesmo de serem ouvidos. Este documentário vai à "linha de frente" para registrar os confrontos e entrevistar os manifestantes para mostrar as motivações dos atos de desobediência civil.
Documentário - 70min - junho de 2013 - COPYLEFT
Nigéria - www.facebook.com/nigeriafilmes / e-mail: [email protected]

Vídeos: 
Veja o vídeo
COM VANDALISMO * documentário completo

A constrangedora entrevista de um escritor do Irã a Fox News

Sugerido por Marcia

Do Correio da Bahia

"Entrevista mais constrangedora" faz venda de livro sobre Jesus disparar

Entrevistadora questiona porque autor muçulmano escreveu sobre Jesus Cristo

Uma entrevista o historiador Reza Aslan sobre seu livro, "Zealot: The Life and Times of Jesus of Nazareth" (Zelote: a vida e a época de Jesus de Nazaré), tem sido chamada na internet da "mais constrangedora de todos os tempos". A entrevistadora é a âncora Laura Green, da Fox News, e a repercussão ajudou as vendas do livro a aumentar 35% em dois dias.

A entrevista de quase 10 minutos foi ao ar na sexta-feira (26). Nela, a âncora insiste em questionar o autor por ele ser muçulmano e, mesmo assim, ter decidido escrever um livro sobre Jesus Cristo. O autor diz que escreveu a obra como acadêmico, citando suas especializações e o fato de ser fluente em grego antigo.

O vídeo da entrevista ganhou destaque a partir do sábado. O site Buzzfeed compartilhou a conversa dos dois com o título: "Esta é a entrevista mais constrangedora que a Fox News já fez?". Leia mais »

Vídeos: 
Veja o vídeo

As princesas da Disney e a feminilidade em crianças

Sugerido por Gustavo Belic Cherubine

Da Agência USP

Princesas da Disney moldam feminilidade em crianças

Por Igor Truz - [email protected]

Beleza estética e casamento são ideias associadas ao conceito do que é ser mulher

No Departamento de Antropologia da Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, a antropóloga Michele Escoura estudou de que maneira as imagens de princesas de contos de fadas servem como um referencial de gênero e exemplo de feminilidade. A pesquisa foi realizada com aproximadamente duzentas crianças de cinco anos de três escolas, públicas e particulares, do interior de São Paulo — duas em Jundiaí e uma em Marília. Por intermédio de observações participantes, Michele avaliou a influência exercida nas crianças pela marca registrada “Disney Princesas”. As imagens das personagens das produções cinematográficas dos estúdios Walt Disney estão presentes no imaginário e no cotidiano da maioria das meninas e carregam em si uma série de particulares significados. Segundo a antropóloga, é necessário mostrar a elas outros referenciais de mundo e do que é ser mulher.

A pesquisa Girando entre Princesas: performances e contornos de gênero em uma etnografia com crianças foi fundamentada nas teorias de gênero, difundidas a partir dos anos 1970. “Segundo as teorias de gênero, os referenciais de masculinidade e feminilidade não são pautados pela natureza, mas apreendidos segundo os modos de socialização a que nos submetemos. Diferentemente do sexo, enquanto um referencial anatômico de macho e fêmea, os gêneros masculino e feminino resultam de uma construção social, e variam de acordo com cada cultura”, afirma Michele. Leia mais »

Ceará: empresas terão de pagar R$ 8 mi a jornalistas

Sugerido por alfeu

Do Comunique-se

Empresas são condenadas a pagar mais de R$ 8 milhões a jornalistas

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará (Sindjorce) venceu processos judiciais movidos contra oito veículos de comunicação de Fortaleza, que violaram os direitos trabalhistas nos últimos dez anos. Ao todo, as empresas terão que ressarcir 221 jornalistas em valores que somam milhões de reais.

Veículos como a TV Verdes Mares, TV Diário, TV Jangadeiro, TV Cidade, Rede TV, Rádio Verdes Mares, Jornal O Povo e Rádio O Povo foram condenados por irregularidades trabalhistas, como falta de pagamento de horas extras e diferenças salariais, segundo informações do Sindjorce.

Os jornalistas aguardam a conclusão dos cálculos dos valores a serem recebidos. “Não há mais dúvida sobre a existência do direito. O que ainda pode se discutir são os valores e o prazo de execução das sentenças propriamente dita. No debate sobre os cálculos, ainda é cabível recurso aos tribunais, por ambas as partes, o que pode resultar em certa demora no processo”, explicou o assessor jurídico do Sindjorce, Carlos Chagas. Leia mais »

Gaston Colmette e o jornalismo que assassina reputações

Do Diário do Centro do Mundo

Como os franceses se livraram do jornalismo que assassina a reputação

Paulo Nogueira

Uma mulher insultada mudou sensacionalmente, há 100 anos, o caráter da imprensa francesa.

Os franceses se livraram de um tipo de jornalismo que assassina reputações de uma maneira drástica.

Em 1914, pouco antes da Guerra, o jornal conservador Fígaro vinha massacrando o ministro da Fazenda, Joseph Caillaux, de esquerda. Caillaux, para o jornal, era pacifista demais num momento em que a Alemanha flexionava seus músculos.

O Fígaro conseguira uma correspondência íntima de Caillaux dirigida a uma mulher da sociedade parisiense, Henriette.

Eram cartas em que se misturavam lascívia e inconfidências políticas, e datavam da época em que Caillaux e Henriette mantinham um caso clandestino.

Quando o Fígaro obteve as cartas, Caillaux e Henriette já eram marido e mulher, depois de cada qual se divorciar para viver plenamente seu amor.

O editor do Figaro, Gaston Colmette, era o jornalista mais poderoso da França.

Henriette queria que Joseph o desafiasse para um duelo para preservar a honra e a carreira. Mas depois teve uma segunda ideia.

Dirigiu-se à sede do jornal e pediu para ser recebida por Calmette, num final de dia. Um amigo de Calmette lhe recomendou que não a recebesse, dadas as circunstâncias da campanha movida contra o marido dela.

Mas Calmette era um francês, e respondeu que não poderia deixar de atender uma mulher sozinha.

Henriette tinha um véu na mão.

“Você sabe para que eu vim aqui, não?”, disse ela, segundo testemunhos. E então, sem perda de tempo, Henriette mostrou o que carregava embrulhado no lenço: uma Browning automática. Descarregou-a em Calmette. Quatro tiros acertaram seu peito, e o mataram em poucos minutos. Leia mais »