Os problemas de saneamento na favela da Rocinha

Sugerido por Marco Antonio L.

Da Carta Capital

Me engana que eu gosto

Com problemas de esgoto e o reaparecimento do tráfico na Rocinha, governo desvia atenção com novos projetos milionários.

Por Edgard Catoira

No próximo dia 19, sexta-feira, com a presença do vice-governador Pezão, o Clube de Engenharia promoverá, no Rio, debate sobre o projeto de implantação de um teleférico na Rocinha.

É impensável que a iniciativa possa ir além de um exercício acadêmico de engenheiros preocupados com soluções para a mobilidade urbana. Mas parece que não. Trata-se de uma proposta concreta do governo Sergio Cabral (PMDB) que, diga-se de passagem, foi um verdadeiro desastre na área de transportes.

Cabral e seu companheiro de festas em Paris, Júlio Lopes, dublê de empresário e secretário de Transportes, fracassaram com todos os modais de transporte. Leia mais »

Rio abriga conferência sobre pesquisa em transportes

Da Agência Brasil

Manifestações colocam transporte público na agenda política principal, diz especialista da UFRJ

15/07/2013 - 14h59

Vinícius Lisboa
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – Um mês depois das manifestações que traziam a melhoria do transporte público como uma das principais demandas, o Rio recebe a partir de hoje (15) a 13ª Conferência Mundial de Pesquisa em Transportes, que reúne mais de 1,5 mil participantes de 90 países em torno do tema.

Para o coordenador do evento, o professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rômulo Orrico, os protestos resultaram na demonstração de uma vontade política que vai além da redução das tarifas. "Esses 20 centavos têm um caráter simbólico, que representa a busca de algo melhor, um transporte respeitoso, de qualidade. (…) Há alguns anos, o transporte não estava na agenda política principal e essa era a maior tarefa de um dirigente público de transporte. Agora, ele [o setor] entrou. Não apenas como uma compensação, mas porque está sendo olhado como um setor importante. Importante para as famílias, para as cidades, para a economia do país e para o desenvolvimento humano", disse. Leia mais »

O sentimento de ineficácia do governo chegará aos pobres

Por ArthurTaguti

Comentário ao post "A encruzilhada de Dilma como gestora"

"São necessários padrões muito superiores ao que se oferece na saúde, educação, segurança e transportes." Pois é.

O problema desta inclusão social via consumo é que não há um limite para tanto. Quem começou a consumir ontem almejará hoje mais e mais, e atualmente se verifica que este processo é dificultado por um endividamento familiar que atinge limites alarmantes.

A inclusão de grandes contingentes de indivíduos ao mercado de consumo se fez por desonerações fiscais e expansão do crédito, de modo que as pessoas que lá no governo Lula entraram no Minha Casa Minha Vida, financiaram um carro zero e compraram eletrodomésticos para a sua casa, estão hoje comprometendo grande parte do seu salário com estes financiamentos. 

Não é preciso grande sensibilidade para se chegar a conclusão de que uma sociedade igualitária se constrói com igualdade de oportunidades, o que não pode prescindir, no caso brasileiro, de uma educação primária e secundária gratuita, universal e de alta qualidade. Leia mais »

Pesquisa relaciona televisão com obesidade infantil

Sugerido por Marco Antonio L.

Da Agência Brasil

Pesquisa relaciona obesidade infantil a tempo que as crianças permanecem na frente da TV

Gilberto Costa
Correspondente da Agência Brasil/EBC

Lisboa – Pesquisa divulgada nesta semana pela Universidade de Coimbra indica que pode haver relação entre a obesidade infantil e o tempo em que as crianças assistem à televisão ou usam o aparelho de TV para brincar com jogos eletrônicos. Feita na década passada, a pesquisa ouviu 17.424 crianças de 3 a 11 anos e seus parentes em todas as regiões de Portugal.

O estudo mostra que, apesar de Portugal ter sistema integral de ensino, com as crianças passando a manhã e a tarde na escola, 28% de meninos e 26% de meninas assistem a mais de duas horas de televisão por dia. Nos fins de semana, a proporção sobe significativamente: 75% meninos e 74% meninas. O parâmetro de duas horas é sugerido pela Academia Americana de Pediatria. Leia mais »

Padilha explica necessidade da vinda de médicos estrangeiros

Sugerido por Marco Antonio L.

"Precisamos de mais médicos imediatamente", diz Padilha

O ministro da Saúde defende a contratação de médicos estrangeiros e rejeita falar sobre candidatura em 2014

por Rodrigo Martins - Carta Capital 

Padilha defende a polêmica iniciativa do governo federal

Em entrevista a CartaCapital, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, defende o programa Mais Médicos, lançado pelo governo federal para sanar a falta de profissionais. “Todos passarão por uma avaliação pelas universidades públicas, mas não ganharão o direito pleno de exercer a medicina no País, para não disputar o mercado de trabalho com médicos brasileiros”, afirma. Confira, abaixo, os principais trechos da conversa. 

CartaCapital: O maior problema é a falta de médicos ou a má distribuição deles? Adianta recrutar estrangeiros?

Leia mais »

Quando mulheres são mortas por serem mulheres

Sugerido por Marco Antonio L.

Jornal GGN 

Feminicídio: quando mulheres são mortas por serem mulheres

Jornal GGN - A partir da década de 1990, Ciudad Juarez, município mexicano na fronteira com o estado do Texas, no Estados Unidos, virou alvo de atenção de órgãos ligados aos direitos humanos. O motivo da atenção foi o alto índice de assassinatos de mulheres, mais precisamente de operárias de fábricas têxteis e de vestuário. A partir desse fenômeno, que matou mais de cem mulheres entre 1993 e o início dos anos 2000, o termo feminicídio - ou femicídio, dependendo da tradução - ficou mais evidente não só entre o meio feminista e de movimentos sociais, mas, também, no âmbito jurídico internacional. O crime é o homicídio causado pela questão de gênero, ou seja, a vítima é morta por ser mulher.

No mundo, o feminicídio já foi tipificado como crime em países como México, Chile, Guatemala, Costa Rica, El Salvador, Espanha e Peru, segundo dados do Comitê Latino-americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher (Cladem). Aqui no Brasil, país que ocupa o 7° lugar no ranking dos países com maior número de feminicídios (o primeiro é El Salvador), o crime pode estar a um passo de ser tipificado e inserido no Código Penal. 

Leia mais »

Presidente nacional da CTB avalia greve geral

Sugerido por Marco Antonio L.

No Vermelho

"É preciso aprofundar as mudanças no Brasil", diz Wagner Gomes

O presidente nacional da CTB, Wagner Gomes, entende que o Dia Nacional de Lutas, organizado nesta quinta-feira (11) por todas as centrais sindicais do país, deixou claro para o governo federal qual o sentimento da classe trabalhadora e da população brasileira em geral: é preciso aprofundar as mudanças no Brasil.


Depois das manifestações ocorridas em todo o país, o dirigente fez um balanço sobre os atos. Diante do atual cenário, Wagner Gomes não descarta a realização de uma greve geral no final de agosto. Segundo o dirigente, está nas mãos do governo federal, do Congresso e também do empresariado nacional os elementos que podem impedir uma paralisação completa em um curto período de tempo.

Leia mais »

Vídeo do Governo Português contra o bullying homofóbico

Sugerido por Gunter Zibell - SP, do Portal Brasilianas.org

Do dezanove.pt

A primeira campanha vídeo do Governo Português contra o bullying homofóbico

A CIG (Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género) acaba de divulgar o novo site de informação e sensibilização para as questões de bullying motivado ódio à orientação sexual e identidade de género. 

O site Leia mais »

Após 23 anos, ECA ainda não foi implementado na íntegra

Da Agência Brasil

ECA chega aos 23 anos sem ser implementado na íntegra, diz especialista

13/07/2013 - 10h23

Ana Cristina Campos
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) completa hoje (13) 23 anos. No entanto, lamenta a secretária-geral do Centro de Referência, Estudos e Ações sobre Crianças e Adolescentes (Cecria), Leila Paiva, embora o Brasil tenha uma legislação que é referência para outras nações, ela ainda não foi implementada na íntegra. “Ainda vivemos em um país em que crianças e adolescentes, cada vez mais, são credores de direitos. São muito mais vítimas do que autores de violência. Lamentamos o fato de que temos a lei, mas não conseguimos aplicá-la”, diz Leila.

Leia mais »

Boatos sobre Bolsa Família foram espontâneos, conclui PF

Do Jornal do Brasil

PF conclui que boatos envolvendo Bolsa Família foram espontâneos

Segundo a polícia, não há elementos que possam configurar crime ou contravenção penal

Hoje às 17h00 - Atualizada hoje às 17h14

A Polícia Federal (PF) concluiu que os boatos envolvendo o Bolsa Família foram espontâneos, e não há como afirmar que apenas uma pessoa ou grupo tenham causado a corrida às agências da Caixa Econômica Federal no dia 18 de maio, um sábado. Segundo nota divulgada nesta sexta-feira, a PF informa que o relatório final foi enviado ao Juizado Especial Criminal do Distrito Federal.

Para que fossem identificados os primeiros beneficiários, a Polícia Federal solicitou à área operacional da Caixa Econômica os registros de saques realizados no período, bem como o padrão dos saques realizados nos meses anteriores.

Do cruzamento dessas informações, a PF constatou aumento anormal no volume de saques nas cidades de Ipu (CE) e Cajazeiras (PB) já nas primeiras horas do sábado, dia 18 de maio. Essas duas cidades apresentaram, proporcionalmente, o maior número de saques dos benefícios no final de semana. A partir das 11h do mesmo dia, verificou-se aumento incomum nas demais cidades que sofreram grande procura nas agências bancárias.

Leia mais »

Revalida será aplicado a estudantes brasileiros

Por antonio francisco

Do G1

Revalida, exame para médicos de fora, será aplicado a alunos do Brasil

Teste é única porta de entrada para formados no exterior trabalharem aqui. Hoje, Revalida reprova 91%. Inep quer saber como brasileiros se sairiam.

Por Ana Carolina Moreno e Vanessa Fajardo

O Ministério da Educação decidiu aplicar o Revalida, exame obrigatório para quem cursou medicina fora do Brasil poder atuar como médico no país, também para estudantes da carreira matriculados em instituições brasileiras, de acordo com pessoas ligadas à área médica ouvidas pelo G1 .

Procurado, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) confirmou nesta quinta-feira (11) que uma edição do exame será aplicado para uma amostra de estudantes do sexto (e último) ano de cursos de medicina no Brasil como um "pré-teste", mas não detalhou quantos alunos farão a avaliação, de quais universidades, a data, nem se será um exame pontual ou permanente. O G1 apurou que a prova deve ser aplicada ainda neste semestre. Leia mais »

Conselho Nacional de Saúde apoia vetos ao Ato Médico

Por Danilo Morais

Comentário ao post "Em nota, CFM diz que vetos ao Ato Médico são uma "agressão""

Nassif, o Conselho Nacional de Saúde (CNS), órgão para o qual são eleitos representantes de usuários, profissonais da saúde e poder público, divulgou nota apoiando a iniciativa da Presidenta Dilma. O Azenha acabou de publicar em seu blog e me parece uma informação importante para contrapor ao corporativismo médico

Do Viomundo

Conselho Nacional de Saúde: Vetos à Lei do Ato Médico, vitória do SUS

Nota do Conselho Nacional de Saúde (CNS)

A presidenta Dilma Rousseff vetou artigos da Lei do Exercício Profissional dos Médicos, nº 12.842, conhecida como “Ato Médico”. Os vetos foram publicados hoje, 11,   D.O.U. A lei daria exclusividade aos Médicos do diagnóstico de doenças, prescrição terapêuticas e gestão da saúde.

Os vetos foram resultados da mobilização dos usuários do SUS – Sistema único de saúde – e demais profissionais da área da saúde. A decisão da Presidenta da República atende as recomendações do Conselho Nacional de Saúde, que tem representatividade dos usuários, trabalhadores da saúde e demais seguimentos da sociedade. Leia mais »

A atração de médicos estrangeiros em outros países

Por Demarchi

Da Deutsche Welle

Planejada pelo Brasil, 'importação' de médicos é fenômeno mundial

Brasil segue exemplo de países como a Inglaterra que usam de programas de atração de profissionais para resolver a falta de médicos

Falta de profissionais de saúde atinge países de todos os continentes, e melhores salários e condições de trabalho são fatores que influenciam a imigração. Em uma década, o Reino Unido conseguiu aumentar consideravelmente o número de médicos que atuam no país. O índice de dois profissionais por mil habitantes saltou para os atuais 2,8. No Brasil, a proporção é de 1,95. Mas o feito inglês inclui uma receita que atualmente levanta polêmica entre brasileiros: a importação de médicos.

Atualmente, quase 40% dos quase 235 mil médicos registrados no Reino Unido são estrangeiros. Grande parte deles vem das 20 nações mais pobres do mundo, incluindo a Libéria – que possuiu 0,014 médico por mil moradores – e o Haiti. A Índia é o principal fornecedor para os ingleses, com 25 mil profissionais.

A “importação” de médicos é um fenômeno mundial que se acentuou nos últimos anos, estimulado por programas nacionais para suprir a falta desses profissionais. "O êxodo de médicos dos países pobres para os mais ricos é uma catástrofe para os países mais pobres e também um problema global", afirma à DW-Brasil Otmar Kloiber, diretor da Associação Médica Mundial (WMA, sigla em inglês). Kloiber aponta melhores condições de trabalho e de vida, além de melhores salários, como fatores que levam médicos a imigrar. Leia mais »

Lei do Ato Médico é sancionada com vetos

Por Janah

Da Agência Brasil

Dilma sanciona Ato Médico com vetos

Thais Leitão

Brasília - A lei que regulamenta o exercício da medicina, o chamado Ato Médico, foi sancionado pela presidenta Dilma Rousseff, com vetos. O texto aprovado, que estabelece atividades privativas dos médicos e as que poderão ser executadas por outros profissionais de saúde, está publicado na edição de hoje (11) do Diário Oficial da União.

O Artigo 4º, considerado o mais polêmico e que motivou protestos de diversas categorias da saúde, como fisioterapeutas, enfermeiros e psicólogos, teve nove pontos vetados, inclusive o Inciso 1º, que atribuía exclusivamente aos médicos a formulação de diagnóstico de doenças. A classe médica considera que esse ponto era a essência da lei. Já para as demais categorias o trecho representava um retrocesso à saúde.  Leia mais »

As propostas para a saúde e o corporativismo dos médicos

Por Marco Antonio L.

Do Balaio do Kotscho

Todo mundo quer mais saúde, mas quem ajuda?

A irada reação das entidades médicas brasileiras ao projeto da presidente Dilma Rousseff de levar mais médicos ao interior e às periferias do País mostra como o Brasil continua sendo, acima de tudo, um país corporativista e patrimonialista.

Nas recentes manifestações de protesto que varreram o País, a situação da saúde foi um dos temas mais criticados em faixas e cartazes. O governo resolveu agir rapidamente e "ouvir a voz das ruas", mas agora que toma providências para melhorar o atendimento médico, quem está disposto a ajudar para se encontrar uma solução que diminua o sofrimento de tanta gente nas filas dos hospitais e nos postos de saúde?

Sem entrar no mérito das medidas propostas, o fato é que importar médicos de outros países e estender de seis para oito anos a duração dos cursos de medicina (os últimos dois trabalhando no SUS) podem ser formas emergenciais de atacar o problema a curto e médio prazos. Quem tiver propostas melhores que as apresente. Leia mais »