Da (pouca) arte da intriga

the talk of the town

Ahhh...O Globo.... Quem será que eles acham que enganam numa era dinamica como essa? OIhem a materia de hj !!!

Patrus admite erro no Bolsa Família Leia mais »

O falso déficit da Previdência

Na gestão Nelson Machado, a Previdência Social passou a divulgar de forma correta os dados de arrecadação. Separou o Regime Geral da Previdência (contribuições e benefícios pagos pela massa segurada) de políticas sociais (aposentadoria rural) e incentivos fiscais (isenção para pequena e micro empresa, clubes de futebol e entidades filantrópicas).

Com isso, mudou radicalmente a natureza do debate. Políticas sociais e benefícios fiscais têm que ser contabilizados no orçamento federal, não no orçamento da Previdência - uma conclusão óbvia.

Com, a entrada do novo Ministro, retornou-se ao velho sistema de divulgação de dados agregados, que é incorreto e serve apenas para fortalecer o discurso dos que pretendem reduzir gastos sociais (clique aqui).

Confira os dados.

Quando se analisam os dados agregados, constata-se uma redução no "déficit", mas que o situa ainda na faixa de 1,25% do PIB, ou R$ 36,2 bi.

Quando se analisa a Previdência Social propriamente dita (do setor urbano), o déficit cai para meros R$ 1,1 bi, ou 0,03% do PIB - arrecadação de R$ 158,3 bilhões para despesas de R$ 159,5 bilhões. Leia mais »

As ações afirmativas

Por José Roberto Militão

Prezado LN,

a todos as boas festas. Ainda hoje (26/12) às 19:00 hs reprise na TV Senado, de debate que participei com o excelente Juiz Federal do TRF-RJ, Doutor William Douglas, dissidentes sobre as leis de ´cotas raciais´ nas Universidades Públicas. Tal projeto de Lei PLC 180/08, já aprovado na Câmara dos Deputados em 20/11, encontrava-se para ser aprovado no Senado Federal na semana pp. e foi adiado para logo após o recesso parlamentar, em fevereiro.

Como sempre, embora seja a favor de Ações Afirmativas, apresento argumentos contrários a identidade jurídica racial - pelos efeitos colaterais não desejados - e o ilustre Juiz, advoga a favor desse tipo de legislação.

Os comentários e críticas serão bem-vindas, o que não podemos é permitir que legislação dessa dimensão que vai alterar a cidadania das gerações futuras, seja acolhida por nossa geração, sem maiores debates e reflexões.

Por Antonio Arles

Nassif, que tal, para promover o tal debate que o Sr. Militão diz ser tão importante, publicar aqui no Blog o excelente texto do Juiz Federal Willian Douglas sobre suas posições sobre a questão das cotas. O texto foi publicado também no Viomundo do Azenha e o Endereço é esse: clique aqui.

Agora, fiquei com a impressão de estar ouvindo a Regina "Eu tenho medo" Duarte nessas curtas palavras do Sr. Militão. Parece que a estratégia de 2002, quando o jogo estava perdido, continua valendo.

Forte abraço.

Leia mais »

A palavra de Patrus Ananias

Hora de decidir

Patrus Ananias, ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, especial para o Blog

Ao primeiro anúncio de desgaste do mercado ancorado no sistema financeiro, algumas empresas reagem prontamente, quase em uma equação de estímulo-resposta, com demissões. À possibilidade de queda no consumo, preserva-se o lucro no mais alto patamar possível a um elevado custo social, com graves conseqüências para muitas famílias. As notícias sobre recessão ou a mera possibilidade desse quadro no horizonte – próximo ou distante – acionam o instinto de sobrevivência do capital. Mas por quanto tempo mais a economia pode sustentar-se com base em uma visão tão restritiva que desconsidere outras relações na sua composição, tais como a relação com o mundo do trabalho que trate os trabalhadores e trabalhadoras em sua dimensão cidadã e humana? Leia mais »

Bolívia alfabetizada

Por Cida Medeiros

Ainda sobre a erradicação do analfabetismo na Bolívia, segue o texto que está num dos sites mais lidos na Venezuela sobre o tema, para ver o tom desta mobilização social

Luego de tres años de movilización social se logró la hazaña
Bolivia: Tercer país de América Latina libre de analfabetismo
Por: Venezolana de Televisión
Fecha de publicación: 21/12/08
http://www.aporrea.org/internacionales/n125912.html

Comentário

Seria bom alguém trazer alguma informação adicional de fontes oficiais, tipo UNESCO. Leia mais »

A falência da gestão dos hospitais públicos

Da Folha

Temporão diz que modelo de hospital público está falido

DA SUCURSAL DO RIO

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse ontem que o modelo de administração dos hospitais públicos no país ""acabou e está falido". A declaração foi dada na solenidade de liberação de R$ 193 milhões para a construção de 126 UPAs (Unidades de Pronto-Atendimento) em 26 Estados e no DF.

""Elas [as UPAs] entram com o poder dinamizador de repensar o sistema. Como disse há pouco o governador [José Roberto Arruda, do Distrito Federal], o modelo de administrar os hospitais públicos acabou e está falido. Temos que inovar e fazer o novo", disse Temporão, no Rio.

Criadas em 2007 no Rio, as UPAs, montadas em contêineres, têm como função desafogar as emergências dos hospitais. Temporão disse ontem que pretende espalhar 5.000 unidades pelo país até o final de 2010.

Comentário

Esse tema é dos mais relevantes. Temporão é membro do Partido Sanitarista, o grupo de médicos que mudou a saúde pública do país, sem dogmatismo e sem se filiar a correntes ideológicas. Simplesmente buscando as melhores soluções para atender a população. Leia na sequência os comentários. Leia mais »

O IDH da Venezuela

Por Gabriela Campos

Nassif:

Todos os sites estão errando na divulgação dos resultados do IDH, dizendo que o Brasil foi superado pela Venezuela. Espero que seu blog seja exceção. A rigor, a Venezuela sempre esteve à frente do Brasil — isso fica muito claro no último gráfico publicado no site do Pnud (clique aqui).

Leia mais »