Nassif, segue em anexo uma proposta de expansão das engenharias do país.

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:"Tabela normal";
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-qformat:yes;
mso-style-parent:"";
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:"Calibri","sans-serif";
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-font-family:"Times New Roman";
mso-fareast-theme-font:minor-fareast;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-bidi-font-family:"Times New Roman";
mso-bidi-theme-font:minor-bidi;}
Com uma das maiores taxas de evasão do ensino superior, a proposta prve 300 milhões de reais até 2014. Interessante, mas não toca num ponto chave: a qualidade dos professores de engenharia que consideram suas taxas de reprovação como sinônimo de qualidade de ensino. Comparado com a expansão de vagas promovida pelo REUNI, a proposta é excelente porque foca numa área importante para o desenvolvimento.