Os fundadores do Pirate Bay e a "Justiça"

Autor: 

A Justiça sueca está atrás do Pirate Bay há anos. Em 2009, os fundadores do site foram considerados culpados de violar direitos autorais. Eles recorreram da decisão, mas o caso já acabou: em fevereiro de 2012, o tribunal ordenou que os quatro homens por trás do Pirate Bay sejam presos e paguem US$11 milhões. Só que nenhum deles foi para a cadeia, e três deles não pagaram um centavo.

O Ars Technica fez uma ótima reportagem investigando onde estão os fundadores do Pirate Bay, e como eles tentam escapar da Justiça.

Fredrik “tiamo” Neij se mudou para a Ásia há alguns anos – “antes do caso judicial começar em Estocolmo”, diz seu advogado. Hoje ele mora na Tailândia, casado e esperando o terceiro filho. Mas o governo sueco ainda está atrás dele:

"No mês passado, a mídia sueca informou que Neij apresentou um documento, datado de 06 de agosto de 2012, à Embaixada da Suécia em Bangkok, protestando contra a revogação de seu passaporte, algo que o governo sueco parece ter feito no início do ano… [Seu advogado Jonas] Nilsson e Neij argumentaram que a sentença penal não é grave o suficiente para merecer a revogação do passaporte de Neij, e dizem que ele precisa estar ao lado de sua esposa para o nascimento de seu terceiro filho."

Gottfrid “anakata” Svartholm também foi para a Ásia: morava no Camboja desde 2008, recluso em um apartamento. Mas ele teve menos sorte: Svartholm foi preso e deportado para a Suécia – mas aparentemente isso não tem a ver com o Pirate Bay.

"No mês passado, Svartholm Warg foi deportado do Camboja por uma violação de visto, e foi enviado de volta para a Suécia. Ele continua sob custódia das autoridades suecas, que o ligam a um episódio de hackers contra a Logica, empresa sueca de TI que trabalha com a autoridade fiscal sueca. No início do ano, a Logica foi atingida por um ataque online que causou a divulgação pública de nomes e números de identificação de cerca de 9.000 suecos… O Ministério Público Internacional em Estocolmo ainda não acusou Svartholm Warg de qualquer crime."

E Peter “brokep” Sunde, que por anos foi o porta-voz do Pirate Bay, hoje mora em Berlim e está envolvido em diversos empreendimentos, como iPredator e Flattr. Só que ele já voltou várias vezes para a Suécia e não foi preso. Do Ars:

"Como Sunde conseguiu evitar a prisão, especialmente dado que ele voltou para a Suécia diversas vezes nos últimos três anos? Não se sabe, e nenhum dos envolvidos comenta o caso. No início deste ano, Sunde teria sido obrigado a se apresentar à prisão Västervik Norra para sua sentença de oito meses. Quando Sunde e os outros não apareceram, o Serviço de Prisão e Liberdade Condicional da Suécia (Kriminalvården) tinha a responsabilidade de agir… Por ora, Sunde continua um homem livre."

Carl Lundström é a exceção. Primeiro, porque ele não fundou o Pirate Bay: ele financiou a expansão do site com dinheiro que recebeu de herança, mas não participava diretamente dele. Sunde diz ao Ars que ele “não tem nenhuma conexão real com o TPB, e me deixa muito irritado que ele faça parte do caso”.

Segundo, porque Lundström cumpriu sua pena: pagou US$35.000 ao tribunal, uma fração mínima da multa, e ficou quatro meses em prisão domiciliar. Este ano, o ex-milionário Lundström entrou com pedido de concordata na Suíça, onde mora hoje, mas suspeitam que ele esteja escondendo dinheiro em paraísos fiscais.

O caso na Justiça já acabou. E agora que Lundström já cumpriu a pena, Svartholm está detido e Neij virou alvo do governo, parece questão de tempo até que todos cumpram a pena. Mas os milhões que o tribunal exige dos fundadores provavelmente nunca virão. E tirar o Pirate Bay do ar? Isso será bem difícil. Leia a história completa aqui: [http://arstechnica.com/tech-policy/2012/10/evasive-maneuvers-how-the-pirate-bay-founders-dodged-swedish-justice/]

Fonte: http://www.gizmodo.com.br/como-os-fundadores-do-pirate-bay-estao-escapan...

Nenhum voto

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.