A propaganda oficial e a administração paulista

Da Folha

Verdades sobre os avanços de São Paulo

BRUNO CAETANO e FRANCISCO VIDAL LUNA

Esta gestão teve novos desafios de comunicação, como a lei antifumo e a Nota Fiscal Paulista, que envolvem uma mudança de hábitos

A ANÁLISE de orçamentos públicos deve ser feita com máxima cautela. Não pode ser apartada dos fatos externos às planilhas, ainda mais quando o objetivo é fazer um balanço de uma administração.

Na edição de 11/4, a Folha publicou reportagem ("No governo, tucano multiplicou receita, gastos e propaganda", Brasil) com o propósito de analisar a atual gestão do governo paulista, que termina em dezembro de 2010. Infelizmente, erros de interpretação e de informação comprometeram gravemente a matéria, que induz a conclusões equivocadas.

De saída, afirma que obras de infraestrutura foram prioridade "administrativa e publicitária" da gestão. Na verdade, em que pese o avanço de grandes obras, a principal prioridade foi o investimento social, com a implantação de dez novos hospitais, 28 Ambulatórios Médicos de Especialidade (AMEs), 60 escolas técnicas e 23 Fatecs (faculdades de tecnologia), mais que dobrando vagas no ensino profissionalizante, entre outras.

A matéria e os gráficos confundiam o leitor, ao colocar lado a lado o que se chama tecnicamente de "investimento" para áreas diferentes, levando à falsa conclusão de que gastou-se mais em obras rodoviárias, por exemplo, do que em educação e saúde.

O raciocínio desconsidera que expandir essas áreas impacta mais o custeio, por conta de altos gastos com material hospitalar, livros didáticos, salários etc., essenciais à manutenção da qualidade do serviço.

Para se ter uma ideia, o governo terá gasto com o trecho sul do Rodoanel, em quatro anos, R$ 5 bilhões. Em educação, serão R$ 87,3 bilhões, e em saúde, R$ 49,6 bilhões.

Ao citar números desse chamado "investimento", não considerou recursos de estatais em obras como Rodoanel e metrô. Os investimentos atingiram 1,67% do PIB estadual em 2009, contra 0,81% em 2006 -70% a mais que o apresentado na matéria. Sobre sua execução, volta a errar.

Na verdade, o governo investiu, entre 2007 e 2009, 12% acima do que estava previsto no Orçamento.

Não há, tampouco, "prioridade publicitária" às obras de infraestrutura: mais de 70% das peças de comunicação abordaram ações de educação e saúde. Ao falar de publicidade, o jornal compara realidades incomparáveis. Esta gestão teve novos desafios de comunicação, como a lei antifumo e a Nota Fiscal Paulista, que envolvem mudança de hábito.

O resultado, somente nesses dois exemplos, é muito positivo: a lei antifumo é respeitada por 99% dos paulistas, com benefícios comprovados à saúde pública; e o governo conseguiu arrecadação extra de R$ 2,1 bilhões com a Nota Fiscal Paulista, diante de um investimento de R$ 40 milhões em publicidade.

A reportagem tirou conclusões equivocadas sobre receitas extraordinárias, apontando uma inexistente "dúvida" quanto à sustentabilidade dos investimentos.

Deixou de dizer que o governo reduziu a relação dívida/receita, permitindo que o próximo governo continue contratando financiamentos. O atual governo obteve autorização para R$ 15,2 bilhões em novos empréstimos, dos quais R$ 5 bilhões devem ser executados até o fim de 2010.

A maior parte, portanto, será utilizada nas próximas gestões. São R$ 10 bilhões para obras como a expansão de três linhas de metrô, o trecho norte do Rodoanel e o Parque Várzeas do Tietê. O jornal erra também quando fala em "inchaço da máquina".

Na verdade, a despesa com pessoal caiu de 4,37% para 4,24% do PIB estadual. Ainda assim, foi possível aumentar salários, instituindo critérios de mérito, bem como a quantidade de servidores, mas entre aqueles envolvidos no atendimento direto à população, em escolas e delegacias, por exemplo. Ao mesmo tempo, cortaram-se 4.218 cargos de confiança, economia de R$ 77,7 milhões/ano.

A gestão não "teve de contabilizar uma piora na violência". Na verdade, a taxa de homicídios entre 2006 e 2009 caiu 27%. Na educação, resultado também expressivo: alta de 9,4% no Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo) entre 2008 e 2009, mostrando uma melhora na qualidade do ensino.

Na área penitenciária, deixou de dizer que a gestão concluiu cinco novas prisões e entregará pelo menos outras quatro em 2010, com um total de 7.200 vagas.

Fica claro que a gestão Serra/Goldman vem tendo enorme êxito em garantir, com medidas eficientes, recursos necessários para ampliar o investimento e o gasto social, estimulando a economia paulista e levando mais qualidade de vida aos cidadãos.

BRUNO CAETANO , 31, cientista social, mestre e doutorando em ciência política pela USP, é secretário de Comunicação do Estado de São Paulo.

FRANCISCO VIDAL LUNA , 63, economista, doutor em economia pela Faculdade de Economia e Administração da USP, é secretário de Economia e Planejamento do Estado de São Paulo.

Comentário

Bruno Caetano foi a pessoa escolhida por Serra para pressões sobre jornais e jornalistas. É dele o estilo agressivo de cartas às seções de cartas ao leitor, as pressões sobre jornais de interior e a infâmia de pressionar o Valor para publicar um artigo do secretário Marrey lançando suspeições sobre uma jornalista que criticara a Lei Antifumo.

Nenhum voto
50 comentários
imagem de Eduardo CPQ
Eduardo CPQ

Caro Luna,

concordo com o Mário Siqueira.

Até.

 
 
imagem de Eduardo Ramos
Eduardo Ramos

Sucida, eu diria! Um inimigo da Folha, não faria melhor...

 
 
imagem de Ivan Moraes
Ivan Moraes

Em outras palavras, o RodoAnel eh o maior golpe, jamais, da America Latina inteira.

Foi o que eu pensei mesmo. Nao havia outra explicacao.

 
 
imagem de Heraldo Fernandes
Heraldo Fernandes

Aqui em Minas Gerais não é diferente, o governador Aécio acabou com a saúde, a educação e a segurança pública. Os professores estão em greve há 40 dias, apresentando contracheques de 500 reais. A unica obra que ele fez foi o centro administrativo orçado inicialmente em 500 milhões, acabou saindo por 1,8 bilhões. Disse que vai economizar 90 milhões em alugueis, que o governo pagava, só que vai demorar 18 anos para recuperar o dinheiro investido. Portanto, parece que o choque de gestão dos tucanos não funciona.

 
 
imagem de manoel
manoel

epa ofensa ao lixo não

 
 
imagem de Livio Nakano
Livio Nakano

Tem muito "argumentum ad hominem", o que infelizmente, desmerece, e muito, as críticas.

Boa Hamilton, assino embaixo 1) Como é calculado o Idesp? 2) 99% respeitam a lei antifumo. Chute ou modo de expressão? (eu acho puro chute) 3) 40 milhões em publicidade?

Boa Ney, Esse gasto com educação e saude é investimento ou custeio? Se construiram escolas novas e novos hospitais? Ampliou-se a infraestrutura desses setores? Ou apenas se alocou o recurso para manter o que já se têm? Se as duas coisas, em qual proporção? Os autores consideram tapar buraco de rua também como investimento? Manutenção de estrutura já existente não pode ser considerado como investimento. Outra questão relevante: E em cada setor, quanto veio do governo federal? SAbe-se que o Governo do Estado usou recursos do SUS para fazer ajuste fiscal. Seria um descabimento se o orçamento de obras viarias fosse maior que o orçamento de serviços de saúde e educação. A conta que interessa é: Da expansão da estrutura do Estado,qual a fatia destinada a cada setor?

Fica a dúvida, esses dados não são extraíveis das páginas dos orçamentos estaduais e de cada uma das secretarias?

Mais ainda - ainda que estivessem corretos, como provavelmente devem ter alguma verossimilhança, eles refletam também os resultados (de alguma maneira, com indicadores de qualidade), ou revelam possíveis ralos de má gestão.

É EXTREMAMENTE elogiável a extinção de 4.218 cargos de confiança.

 
 
imagem de Jura
Jura

Bebedouros? Bibliotecas? Laboratórios? Banheiros? Funcionários extras?

Ora, é pra isso que servem as associações de pais e mestres: para bancar tudo que falta nas escolas...!!! E, nas escolas onde os pais têm algum dinheiro eles pagam com o maior prazer, achando que estão cumprindo com seu dever.

Agora, experimente propor que esse dinheiro seja repartido com as APMs pobres que você vai ver só! "Eu pago para o "meu" filho, não para o filho dos outros". Enfim, só mais um modelo tucano de privatização.

Mesmo assim, meus parabéns por ser um professor do Centro Paula Souza. Você pertence à elite do ensino paulista.

 
 
imagem de Jura
Jura

E o meu... e os outros todos...

 
 
imagem de manoel
manoel

daqui a pouca vai ter propaganda ate do pcc.comanda da policia de sp.um estado cada vez mais seguro.

 
 
imagem de EGF
EGF

Caro Ivan, acabei de descobrir um ativador de rede neural!!!

O Rodoanel está custando R$ 8.000.000.000,00 (8 bilhões). Possui uma extensão de 176 KM. Logo, o preço do KM construído está em:

R$ 45.454.545,45 !!!

Descontando a piada com a dízima periódica tucana, Maluf deve estar bem triste de não ter participado da construção de algo que custa 45 milhões por quilômetro!

 
 
imagem de oswaldo
oswaldo

Governo de poucas realizações, quando muito o obrigatório. Não consigo olhar o governo de São Paulo como um gestor a frente, é do passado, nada que um eleitor tucano possa se vangloriar, pelo contrário tem de esconder ou mascarar.

 
 
imagem de oswaldo
oswaldo

Da folha, precisa mais ?

 
 
imagem de EGF
EGF

Além do irrecuperável prejuízo ambiental, o Rodoanel acarreta custos que avançam no tesouro público e agridem o bolso do contribuinte. Desde que a obra foi lançada pelo Governo do Estado, em junho de 1989, até agora, os valores sofreram uma escalada vertiginosa: no lançamento foi orçada em U$$ 1.050 milhão (um milhão e cinqüenta mil dólares); em dezembro de 97 a previsão de custo chegou a R$ 2.8 bilhões; em 15 de fevereiro de 2001 atingia a cifra de R$ 6 bilhões, como consta no site da DERSA. No entanto, em 18 de agosto do ano passado, a Folha de São Paulo divulgou em primeira página um custo estimado de R$8 bilhões. Como por aqui o superfaturamento é prática comum onde houver brecha, tudo indica que este valor pode ultrapassar os R$10 bilhões.

Mais em: http://www.jornaldaserra.com.br/jsrodoanel/rodocustos/rodocustospage.htm

 
 
imagem de EGF
EGF

Sobre a preocupação de Serra com os deficientes físicos e o Ministério que ele criará: --

 
 
imagem de EGF
EGF

Esses números jogados ao vento são engraçados. Mas, falando neles, tem uma propaganda do estado de São Paulo -- um estado cada vez melhor -- sobre saneamento que diz que foram construídas uma estação de tratamento a cada 15 dias. Porém, não diz desde quando eles estão contando. Mesmo que for desde de o início da gestão Serra, daria por volta de 80 estações. Um resultado pífio para um estado como SP. Sobre isso, aqui em Rio Claro (interior paulista), fazia 80 anos que não trocavam a tubulação de águas/esgoto. Trocaram agora. Mas... foi obra do PAC. Aquele que não existe.

 
 
imagem de Kappa
Kappa

Mário, Os nomes dos dois estão lá, no título. Você confundiu - na introdução - secretários do gov. Serra com jornalistas da ditabranda? Existe muita diferença nisso nesse pasquim? Prá mim a grande preocupação foi de consertar a 1a. matéria, que, segundo quem escreveu originalmente... foi "mal redigida"...

 
 
imagem de Gunter Zibell
Gunter Zibell

Certamente PIB.

A arrecadação estadual em SP é em torno de 13% do PIB, assim os gastos com pessoal estariam em torno de 1/3, o que é compatível com a Lei de Responsabilidade Fiscal.

 
 
imagem de José Ayres Lopes
José Ayres Lopes

Mas o que é isto? Dois tucanões reais de bico amarelo defendendo, na cara lavada, o indefensável!... A coisa está feia.

 
 
imagem de Ricardo Santa Maria Marins
Ricardo Santa Maria Marins

Boa Tarde! Caros Blogueiros e Luis Nassif!!!

No caso da Lei antifumo é a MAIOR ARBITRARIEDADE praticada em momento que vivemos o ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO. Chega a ser um INSULTO a inteligência JURÍDICA de qualquer um que tenha o MÍNIMO de RESPEITO À CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. Tal lei não só fez pressão sobre o/a JORNALISTA, como fez pressão contra DESEMBARGADORES que haviam decidido pela sua ilegalidade e inconstitucionalidade, como CRIOU os MALDITOS DEDOS DUROS, a DESGRAÇADA TROPA DE CHOQUE e o IMBECÍL SÍMBOLO NAZI-FASCISTA pregado em estabelecimentos comerciais, industriais, universidades, condomínios residenciais, comerciais e de serviços, além da sua TOTAL INCONSTITUCIONALIDADE, ILEGALIDADE E IMORALIDADE é PRIMOROSAMENTE BURRA e TACANHA. A Lei antifumo é TUDO de ARBRITARIEDADE e de SACANAGEM contra o ELEITOR/ELEITORA, além de PREJUDICAR receitas tributárias estaduais. Se Não fosse Tão BURRA. Não resolve nada, não serve para NADA e só ilude os INCAUTOS e desavisados. E, ao invés de ser uma precursora de mudança nos hábitos é INDUTORA da mesma ilegalidade de que é composta induzindo e facilitadora da contravenção penal e da promiscuidade. Onde, o executivo interfere no judiciário estadual, de maneira pior que o ATO Institucional nº5. Lá, ditadura. AGORA, na democracia. Coisa mais ridícula. VERDADEIRO ATENTADO À DEMOCRACIA, LIBERDADE, RESPEITO À INTELIGÊNCIA e SÓ HITLERES ou PRETENDENTES ao POSTO poderiam ter Idéia tão IDIOTA. Obrigado e Tchau!!!

 
 
imagem de Paulo Cezar
Paulo Cezar

Esse depoimento deveria estar em destaque.

 
 
imagem de Edmilson Fidelis
Edmilson Fidelis

Onde está a tal evidência dos números?

 
 
imagem de Jura
Jura

"Esta gestão teve novos desafios de comunicação, como a lei antifumo e a Nota Fiscal Paulista, que envolvem uma mudança de hábitos"

Toda mudança de hábito é um desafio de comunicação. É pra isso que ela serve.

"a lei antifumo é respeitada por 99% dos paulistas, com benefícios comprovados à saúde pública; e o governo conseguiu arrecadação extra de R$ 2,1 bilhões com a Nota Fiscal Paulista, diante de um investimento de R$ 40 milhões em publicidade."

Os mesmos resultados poderiam ser alcançados com despesas - publicidade não é investimento - muito menores. E é muito dinheiro para gastar em apenas dois itens de menor importância da pauta de comunicação social do governo: quanto foi aplicado, por exemplo, no combate a doenças frequentes e epidêmicas, a campanhas de vacinação e de segurança no trânsito, por exemplo?

 
 
imagem de Ney henrique
Ney henrique

Sim... vejha meu post acima!

 
 
imagem de Lau Mendes
Lau Mendes

Publicidade e contrato de risco; preciso ler alguma coisa a respeito para intender melhor algumas linhas.

 
 
imagem de Sérgio Cassieri França
Sérgio Cassieri França

Não se poderia esperar outro tipo de texto; partindo de seus autores. Quem seria o otário de escrever a verdade administrativa desse desgoverno tucano por que vem passando o Estado de São Paulo. Se meros jornalistas estão sendo demitidos pelo PIG simplesmente por estar em desacordo com os Demostucanos; imaginem o que aconteceria se um funcionário próximo do Nosferatus fizesse comentários desfavoráveis (vide Educadlores Paulista). Para mim esse texto nada mais é do que um factóide criado para ajudar a esconder a podridão e safadeza que tem sido a gestão Serra/Goldmann.

 
 
imagem de EdiSilva
EdiSilva

O espaço da folha, é claro.

 
 
imagem de Oda Nobunaga
Oda Nobunaga

Desde a chegada dos tucanos ao poder em São Paulo, a participação do estado no PIB diminuiu 0,7%. Ou seja, São Paulo encolheu frente à outros estados. A política social mais "inovadora" do então prefeito Serra foi construir rampa anti-mendingo. O hospital das clínicas que atendia pessoas de todo o Brasil, agora só atende a região "carente" dos jardins. Na educação, o aluno só precisa frequentar as aulas, aprender é irrelevante. Na segurança pública, uma faccão criminosa conseguiu impor à maior cidade da america latina um toque de recolher durante vários dias. O metro paulista começou a ser construído junto com o da cidade do México e hoje o mexicano tem 250 KM e o nosso 60KM. Mesmo sabendo disso, o governador preferiu gastar mais de R$ 1 bilhão de reais na ampliação da marginal e o transito continua caótico. O Falando em transito, andar nas rodovias estaduais sai mais caro do que ir de Porto Alegre até Natal. No Paraná não existe uma só rodovia pedagiada e na região metropolitana de São Paulo, tem rodovia com dois em menos de 20km.

 
 
imagem de João Aguiar
João Aguiar

Mais um tiro no pé do otavinho, os repórteres da Falha de SP fazem uma matéria que a própria Falha desdiz em seguida quando acolhe matéria que aponta "erros de interpretação e de informação comprometeram gravemente a matéria, que induz a conclusões equivocadas." O problema da Falha e do seu herdeiro é a esquizofrenia de ser jornal e órgão oficial de imprensa dos demo-tucanos, a mão direita dá uma bolacha na cara e a esquerda repete do outro lado e assim nos vamos assistindo e rindo deste pasquim de esgoto sumindo no ralo.

 
 
imagem de ze aurelio
ze aurelio

Melhoria na educação ??????? Aonde ?????? A educação pública paulista está um lixo.

 
 
imagem de Eduardo Ramos
Eduardo Ramos

O artigo é tão descaradamente pró-Serra, que chega a dar náuseas! A Folha deixou de ser jornal! Virou panfleto! E de baixa qualidade...

 
 

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.

Faça seu login e aproveite as funções multímidia!