Por dia, oito professores desistem de dar aula em SP

R7

Por ano, 3 mil professores desistem de dar aula em São Paulo

Por Paulo Saldana

A cada dia, oito professores concursados desistem de dar aula nas escolas estaduais paulistas e se demitem. A média de pedido de exoneração foi de 3 mil por ano, entre 2008 e 2012. Salários baixos, pouca perspectiva e más condições de trabalho estão entre os motivos para o abandono de carreira.

Os dados obtidos pela reportagem por meio da Lei de Acesso à Informação são inéditos. A rede tem 232 mil professores - 120,8 mil concursados, 63 mil contratados com estabilidade e 49 mil temporários. A fuga de professores também é registrada na rede municipal de São Paulo, mas em menor escala. As escolas paulistanas têm média de 782 exonerações por ano desde 2008. Leia mais »

Debatendo a remuneração dos profissionais na área pública

Por hugo

Comentário ao post "Pela 1ª vez, a saúde é discutida pelo povo com engajamento"

André, por que professores que formam a base da sociedade que formnarão os futuros médicos, engenheiros, advogados, fazem 3 jornadas diárias para ganhar pouco mais de 2 mil reais por mês. Não é absurdo? Sim. Falar em federalização para a carreira médica, me desculpe mas é mais um corporativismo de classe.

Todos os profissionais de todas as áreas do serviço público são mal remuneradas, não somente os médicos.

Um salário de médico da familia no serviço público gira e torno de 10.000 reais por mês por 8 horas diárias e ainda assim  você não encontra médicos que cumpram a jornada integral. Os vícios de emprego não se dão somente nos gabinetes de Brasília, pode estar no posto de saúde da esquina da sua casa.

Imagine que um professor é contratado para dar 5 aulas numa escola pública numa manhã, mas ele dá apenas uma e no resto do tempo dá aulas particulares e recebe seu salário público integralmente. Seria um escandalo, não? Óbvio. Mas o mesmo ocorre diariamente nos hospitais públicos brasileiros sem que ninguem se incomode. A alegação dos médicos? Baixos salários. Portanto um profissional alegando baixa remuneração pode usurpar o dinheiro público da maneira que bem entende sem que ninguém o incomode. Leia mais »

O apoio da Apae de São Paulo à educação inclusiva

Do Inclusão Já

Apae de São Paulo apoia a Educação Inclusiva

Posicionamento sobre educação inclusiva

A APAE DE SÃO PAULO esclarece que apoia a política oficial de educação no Brasil: a educação inclusiva. Com base nessa diretriz – na qual uma mesma escola recebe todos os alunos sem nenhum tipo de discriminação –, a Organização oferece, por meio de parceria com a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (SP) o Atendimento Educacional Especializado para jovens de 4 a 17 anos, matriculados em classe comum da rede regular de ensino, com o objetivo de criar condições mais favoráveis para aprendizagem formal desses estudantes.

Em mais de 10 anos de trabalho fundamentado na educação inclusiva, a APAE DE SÃO PAULO tem garantido o desenvolvimento efetivo para crianças e adolescentes com deficiência intelectual, apoiando-os na socialização; o fim da discriminação; e melhora da aprendizagem formal.

Com relação à divergência entre as mais de 2.100 APAES no país, a APAE DE SÃO PAULO respeita as distintas opiniões entre as organizações, uma vez que a educação inclusiva ainda está se consolidando e é natural que o debate apresente opiniões diferentes. Leia mais »

A inclusão de alunos da APAE é a solução definitiva

Por Pedro Vieira

Comentário ao post "A campanha da Federação das APAEs contra educação inclusiva"

Pessoal, respeito todos os pontos de vista mas me vejo obrigado a compartilhar minha experiência.

Tenho uma menininha de 8 anos com síndrome de down, a Ritinha, meu tesouro. Já frequentei APAE e ensino regular em escola particular com minha filha e digo: não há comparação! Minha filha se desenvolveu mais rápido e melhor no processo inclusivo. Esta segregação que havia na APAE não acho legal, não é bom pras crianças, elas perdem a referência.

Tive dificuldade no início para conseguir a inclusão, recorri ao MP, achamos um caminho, um meio, não foi fácil mas vale a pena. Leia mais »

A inclusão dos alunos da APAE no sistema regular de ensino

Por Piki

Comentário ao post "A campanha da Federação das APAEs contra educação inclusiva"

Sou diretor da Apae aqui na minha cidade, no interior de GO. Não atuo no operaçional, apenas na diretoria. Não faço parte de nenhuma federação e nem sei qual a atuação ou pleito deles.

Sei o que fazemos aqui atendendo 158 alunos. Destes, alguns frequentam a escola (APAE) diariamente pois não tem condição alguma de serem incluídos na rede publica ou mesmo na rede privada de ensino. No entanto, temos vários outros alunos que frequentam nossa escola duas ou tres vezes por semana, fazendo trabalhos específicos e, foram incluídos, gradativamente, no sistema regular de ensino. É gratificante esse processo, tanto pra nós quanto, principalmente, para os alunos. Leia mais »

Armadilha da Renda Média

Por Luis Carlos de Freitas*

Um dos primeiros estágios de exploração da força de trabalho é a absorção de bolsões de mão de obra barata: pessoas do campo, mulheres, entre outros. Nesta fase, os empresários não necessitam de boa educação. A tecnologia é simples e o salário é baixo, pois a mão de obra é abundante.

Quando tais bolsões diminuem, continua-se a necessitar de mais mão de obra.  Entram em cena os estrangeiros desocupados em seus países. Chegam, só em São Paulo, 30 por dia. A contínua necessidade de mão de obra pode fazer com que a renda média paga aos trabalhadores de setores inteiros da economia comece a crescer. Salários pagos são um componente fundamental na definição do lucro. Usualmente, os processos de fabricação também tendem a se sofisticar para intensificar a força de trabalho, exigindo tais processos mais educação. Leia mais »

Projeto obriga ensino superior a manter cursos para idosos

Sugerido por alfeu

Da Agência Senado

Aprovado projeto que obriga ensino superior público manter cursos de extensão para idosos

Iara Farias Borges e Iara Guimarães Altafin

Instituições públicas de educação superior podem ser obrigadas a oferecer cursos permanentes de extensão para pessoas idosas. Substitutivo do senador Paulo Paim (PT-RS) a projeto do senador Cristovam Buarque (PDT-DF) com esse objetivo foi aprovado nesta terça-feira (20) pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), em decisão terminativa.

De acordo com o texto aprovado, o Estatuto do Idoso (Lei 10.741/2003) é alterado para tornar permanentes cursos e programas de extensão para a terceira idade, presenciais ou a distância, em universidades, faculdades, centros universitários e institutos de ciência e tecnologia. Apesar de defender a ampliação da oferta dos cursos tanto em instituições públicas como privadas, o senador Paim tornou obrigatória a oferta dos cursos de extensão para esta parcela da população apenas para as instituições mantidas com recursos da União, estados ou municípios. Leia mais »

Professor é condenado por vazar questões do ENEM

Sugerido por Marco St.

Do G1

Professor é condenado a 6 anos de reclusão por vazar questões do Enem

Professor obteve questões antecipadas por meio do exame pré-teste. Alunos do Colégio Christus tiveram acesso a 14 questões do Enem 2011.

André Teixeira

O professor do Colégio Chritus, de Fortaleza, foi condenado a seis anos de reclusão pelo vazamento de 14 questões do Exame Nacional do Ensino Média (Enem) em 2011. Na época, o professor distribuiu um simulado do exame que continha questões iguais às que foram usadas no Enem. A decisão condenatória foi publicada nesta segunda-feira (19)

Segundo denúncia do Ministério Público Federal, o professorJahilton Motta havia conseguido as questões por meio do pré-teste, uma prova realizada um ano antes do Enem para definir o nível de dificuldades das questões do exame nacional e que, em alguns casos, tem questões aplicadas também no Enem.

"Registro os seguintes dados quanto ao réu Jahilton José Motta: culpabilidade grave, porquanto sua conduta se deu de modo a abusar de relação de confiança de seus alunos e companheiros professores", afirmou o juiz Danilo Fontenelle Sampaio na setença. O juiz determinou também o pagamento de multa de 400 salários mínimos, que deve ser pago em até 10 dias após a decisão condenatória. Leia mais »

O projeto público de educação musical na Venezuela

Sugerido por MiriamL

Do Sul21

O Sistema Venezuelano ou ‘Uma tormenta tropical sobre Salzburgo’

Milton Ribeiro

El Sistema (“O Sistema”) é um modelo de ensino musical que foi criado na Venezuela por José Antonio Abreu. Consiste em um projeto de educação musical público gratuito e altamente capilarizado, voltado a crianças e jovens de todas as camadas sociais.

El Sistema é gerido pela Fundación del Estado para el Sistema Nacional de las Orquestas Juveniles e Infantiles de Venezuela (FESNOJIV), órgão estatal venezuelano responsável pela manutenção de mais de 125 orquestras (sendo 30 sinfônicas) e coros juvenis, e pela educação de mais de 400.000 estudantes, em 180 núcleos distribuídos pelo território venezuelano.

Segundo a definição da própria FESNOJIV, “El Sistema visa organizar sistematicamente a educação musical e promover a prática coletiva da música através de orquestras sinfônicas e coros, como meio de organização e desenvolvimento das comunidades”. Evidentemente, a importância do método não se limita a seus excelentes resultados artísticos. A maior parte dos jovens músicos de El Sistema provém das camadas mais carentes da população que, na música, encontra uma via de desenvolvimento intelectual e de ascensão social. El Sistema tem como objetivo principal a proteção social dos jovens mais pobres e também a sua reabilitação, nos casos de envolvimento com práticas criminosas. Leia mais »

O primeiro indígena formado mestre pela UFRGS

Sugerido por MiriamL

Do Terra

Primeiro mestre indígena da UFRGS define escola ideal para índios

Dissertação de Zaqueu Key Jópry Claudino foi sobre as concepções da educação indígena a partir da tradição Kaingang, relacionando-as com a educação escolarizada

"Agradeço em primeiro lugar a Tupẽ (Deus), que iluminou o meu caminho durante esta caminhada, e também aos espíritos ancestrais Kaingang, que, em sonho, me possibilitaram desvendar os saberes indígenas que consagro como conhecimento". Assim começa a seção de agradecimentos da dissertação de mestrado de Zaqueu Key Jópry Claudino, 42 anos, também conhecido como Zaqueu Kaingang. Desde o início é possível perceber que não se trata de um trabalho comum - além das tradicionais versões do resumo em português, inglês e espanhol, há ainda uma em kanhgág, primeiro idioma aprendido por Zaqueu.

Pertencente à tribo dos Kaingang, Zaqueu é o segundo filho de uma família de cinco, o primeiro indígena formado mestre pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e primeiro indígena mestre em educação do Rio Grande do Sul. A titulação veio em junho deste ano. Ele lamenta que nenhum de seus irmãos tenha ido além do ensino médio, mas se orgulha do caminho tomado por sua família: com o título de mestre em mãos, Zaqueu pretende iniciar o doutorado no próximo ano; sua esposa, Rute, cursa geografia; os filhos mais velhos, Gilmar e Cleverson, são formados em história e enfermagem; e a filha mais velha, Juciane, também cursa enfermagem. Destino que espera também para os caçulas, Giovani, 9, e Geovana, 7. Leia mais »

Prefeitura lança programa para reforma do ensino em SP

Da Agência Brasil

Prefeitura de São Paulo anuncia programa para reforma do ensino municipal

15/08/2013 - 16h02

Flávia Albuquerque
Repórter da Agência Brasil

São Paulo - A prefeitura de São Paulo anunciou hoje (15) um programa de reforma curricular e administrativa no sistema educacional do município, com a ampliação e o fortalecimento em todos os níveis de ensino. Entre as mudanças propostas estão a divisão dos nove anos do ensino fundamental em três ciclos. A reprovação do aluno também passa a ocorrer caso não haja aproveitamento já nos primeiros anos do ciclo.

O Programa Mais Educação São Paulo ainda não está totalmente fechado e, de acordo com o prefeito Fernando Haddad, a prefeitura conta com sugestões que podem ser feitas por meio do site do projeto, onde todos os conceitos da reformulação estão disponíveis para consulta pública até 15 de setembro.

“Vamos abrir o debate nas subprefeituras, nas escolas, delegacias de ensino, que têm a responsabilidade de chamar diretores, professores e pais para que se debrucem sobre o plano e o aperfeiçoem. Certamente surgirão ideias que poderão ser incorporadas. As consultas preliminares que fizemos nos deu muita segurança para lançar o debate dessa maneira”, explicou.

Leia mais »

As desigualdades criadas pelas falhas no sistema educacional

Sugerido por alfeu

Do Envolverde/IPS

Brecha juvenil em emprego e sexualidade segura

por Raúl Pierri, da IPS

Ahmad Alhendawi, enviado especial do secretário-geral da Organização das Nações Unidas para a Juventude, dialoga com participantes do programa Jovens em Rede do bairro de Manga, em Montevidéu. Foto: David Puig/UNFPA

Montevidéu, Uruguai, 14/8/2013 – As falhas do sistema educacional da América Latina e do Caribe criam desigualdades que continuam afastando grande parte da população jovem dos empregos dignos e de uma sexualidade segura. Cerca de metade das e dos jovens sexualmente ativos da região jamais usaram um método anticoncepcional, e estima-se que 20% das meninas e meninos da região são filhos de mães adolescentes, com idades entre dez e 19 anos.

No entanto, a prevalência do HIV, vírus causador da aids, embora tenha diminuído, continua sendo alta. Cerca de 250 mil latino-americanos entre 15 e 24 anos vivem com HIV. Estes dados foram divulgados durante a Primeira Reunião da Conferência Regional sobre População e Desenvolvimento da América Latina e do Caribe, que começou no dia 12 e terminará amanhã, em Montevidéu, no Uruguai. Leia mais »

Sisutec conta com mais de 300 mil estudantes inscritos

Da Agência Brasil

Mais de 300 mil estudantes se inscreveram no Sisutec

12/08/2013 - 13h25

Yara Aquino
Repórter da Agência Brasil

Brasília - No último dia de inscrições no Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec), foram cadastrados 305.230 estudantes a uma vaga gratuita no ensino técnico. O balanço divulgado pelo Ministério da Educação registra os inscritos até as 10h20 de hoje (12). As inscrições devem ser feitas pela internet até as 23h59 de hoje.

O sistema vai selecionar candidatos para 239.792 vagas em cursos técnicos com base na nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Para participar é preciso ter feito o Enem 2012 e obtido nota maior que zero na redação. Os candidatos que cursaram o ensino médio completo na rede pública ou na rede privada na condição de bolsista integral terão prioridade na ocupação de 85% das vagas oferecidas na seleção.

Leia mais »

Escolas poderão ter duas horas semanais de educação física

Sugerido por alfeu

Da Agência Senado

Educação física poderá ter carga horária de duas horas semanais nas escolas

VEJA MAIS

Veja a pauta completa da CE

A disciplina de Educação Física poderá ser considerada obrigatória na educação básica, com carga horária mínima de duas horas semanais. É o que estabelece o projeto de lei do Senado (PLS) 249/2012, do senador Eduardo Amorim (PSC-SE). O PLS é o primeiro dos doze itens da pauta de votações da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) para a reunião desta terça-feira (6), às 11h. O projeto tramita em caráter terminativo.

Na justificativa do projeto, o autor diz que, desde 1996, quando da promulgação da Lei de Diretrizes e Bases para a Educação (LDB – Lei 9.394/1996), não há mais determinação de carga horária das disciplinas e a escola é que elabora seu projeto pedagógico e define a carga horária de cada uma delas.

Na visão de Eduardo Amorim, seu projeto tornaria possível estabelecer carga horária mínima de Educação Física do ensino fundamental e médio, determinando a obrigatoriedade de duas aulas semanais da disciplina nas escolas públicas e particulares em todo o país. Leia mais »